Como utilizar dados e tecnologias no gerenciamento de crise

6 minutos para ler

Com a crescente transformação digital e as tecnologias assumindo cada vez mais um papel central nas organizações, você já deve ter em mente que os dados são um dos recursos mais valiosos hoje em dia. Mas o que talvez você não saiba é que os dados também podem ser de grande utilidade para o gerenciamento de crise

Situações de crise são preocupantes para os gestores. Afinal, elas podem gerar uma repercussão indesejada para o negócio, principalmente no caso das empresas que já se transformaram digitalmente. Nesse contexto, saber interpretar os dados gerados pelos clientes e prospects é primordial para ter em mãos um plano estratégico que ajude a superar qualquer instabilidade.

Neste post, você vai aprender como utilizar os dados de maneira prudente e cautelosa no gerenciamento de crises. Acompanhe!

Como a tecnologia ajuda no gerenciamento de crise?

A aplicação de soluções tecnológicas nas empresas tem, comprovadamente, o potencial de alavancar qualquer negócio. Segundo estudo da BI-Survey, 60% das organizações de alto desempenho no mundo baseiam suas decisões em dados, empregando diversas ferramentas para coletar e analisar informações a respeito de seus clientes, concorrentes e mercado de atuação.

Essa alta porcentagem demonstra a importância de criar uma cultura data-driven capaz de alcançar benefícios como:

  • aumento de agilidade — identificar oportunidades ou riscos é muito mais fácil por meio do acompanhamento de dados. Eles permitem perceber movimentações do mercado proporcionando uma maior agilidade para reação;
  • minimização de custos — durante uma crise toda ação deve ser bem planejada. Ao tomar decisões baseadas em dados, os gastos de operacionalização tendem a cair, assim como a diminuição de maus investimentos;
  • reconhecimento de erros — mais do que gerenciar a crise, é preciso entender onde está o erro. Identificar um problema e planejar possíveis correções geram melhorias no projeto ou processo;
  • prevenção de novas crises — por meio de uma análise preditiva é possível prever situações que possam vir a ocorrer no mercado;
  • maior eficiência — o uso de dados permite entender melhor as necessidades dos clientes e melhorar a experiência.

Nesse sentido, a tecnologia é parte fundamental de uma estratégia baseada em dados. Afinal, é por meio dela que se pode coletar grandes volumes de informações, que serão analisadas para gerar o conhecimento necessário e servir de subsídio para as decisões. 

Quais ferramentas são necessárias?

Antes de explicarmos como utilizar os dados em si, é fundamental entendermos quais recursos são necessários para se chegar a informações realmente relevantes. Para alcançar esse objetivo, é preciso, basicamente, de três soluções tecnológicas.

Data Warehouse

Um banco de dados é imprescindível para armazenar grandes volumes de dados, que serão posteriormente processados, a fim de gerar valor. O tamanho do Data Warehouse varia conforme as necessidades de cada empresa.

Business Intelligence 

A segunda ferramenta necessária é o famoso BI, software que utiliza a Inteligência Artificial para analisar dados. Aqui, devem ser definidos parâmetros de análise, sendo que, com o tempo, o próprio sistema aprende como melhorar sua capacidade analítica.

Dashboard 

Por último, é preciso contar com um Dashboard, ou seja, com um painel de apresentação de dados. Isso porque é muito importante organizar as informações por meio de gráficos, relatórios e outras ferramentas de visualização. Assim, os dados podem gerar muitos mais insights.

Como usar dados para contornar uma crise?

A seguir, apresentamos um passo a passo de como utilizar os dados em uma estratégia de gerenciamento de crise. Assim, você pode implementar de maneira simples e ágil essa metodologia em sua empresa. 

Pense na estratégia

O primeiro e mais importante passo é definir uma estratégia para o uso de dados. Identifique quais são os seus principais objetivos com a análise, como identificar possíveis ameaças, os impactos que elas causariam à organização e as medidas mais indicadas para minimizar as consequências.

Dessa forma, você foca os esforços da sua equipe apenas nos dados que realmente serão relevantes para o seu objetivo, eliminando tudo aquilo que não agregará valor no momento. Isso garante uma maior eficácia do seu investimento em análise de dados.

Monitore o comportamento do consumidor

Depois de traçar uma estratégia sólida, é hora de monitorar o comportamento dos seus consumidores e prospects, bem como da concorrência e do mercado de atuação. Redes sociais, banco de dados de terceiros e pesquisa de mercado são boas fontes de dados sobre comportamento. 

Além disso, é importante monitorar taxa de conversão por produto ou serviço, os feedbacks dos clientes e até mesmo a usabilidade do seu site e projetos. É preciso ficar atento aos principais recursos que podem gerar dados sólidos e confiáveis, já que as decisões da empresa serão tomados com base neles. 

Automatize processos

Existem duas maneiras de coletar informações: de forma manual ou de forma automatizada. Empresas de pequeno porte ou em estágios iniciais de análise geralmente optam pela primeira opção. No entanto, com o passar do tempo e conforme a evolução da análise vai aumentando, o ideal é buscar por uma ferramenta que automatize o processo de coleta.

A automatização oferece grandes facilidades para a coleta e análise de dados. Então, passe a utilizar sabiamente ferramentas e tecnologias disponíveis no mercado, como Inteligência Artificial e Big Data.

Contorne situações

Após realizar todos os passos anteriores, a sua estratégia começará a rodar e as ferramentas farão a coleta e a análise de dados de maneira eficiente. Contudo, cabe a você e aos demais gestores verificar os relatórios e utilizar a experiência e visão de negócio para definir quais ações serão mais eficientes, com base no conhecimento gerado pelos dados.

Por fim, essas conclusões devem ser documentadas na sua estratégia de gerenciamento de crise. Isso será essencial para atuar de maneira eficiente nas próximas situações. No futuro, ter em mãos um “mapa” que o oriente sobre qual é o melhor caminho para tirar a sua empresa de uma crise sem grandes perdas será fundamental.

Utilizar dados no gerenciamento de crise pode ser a diferença para o sucesso do seu negócio. No atual momento de alta competitividade, o espaço para apostar apenas no instinto está cada vez menor. Então, se você ainda não conta com uma cultura de dados, pode começar a se planejar para isso agora mesmo.

Gostou do nosso artigo sobre gerenciamento de crise? Então compartilhe esse post nas suas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário