Conheça os custos e os benefícios de migrar para a nuvem

6 minutos para ler

Conheça os custos e os benefícios de migrar para a nuvem

Quando se trata de transformação digital, o assunto mais falado do setor de tecnologia é a migração para a nuvem. Isso porque ir para a cloud já foi uma questão de luxo, mas agora é, cada vez mais, uma necessidade e prioridade que deve ser considerada por todas as empresas. 

Por precisarem pensar em processos em andamento e na rotina da empresa, alguns gestores e decisores estão demorando a olhar para a nuvem como uma estratégia necessária e, nesse aspecto, surge um dilema: quanto custa essa migração para a nuvem e quais benefícios minha empresa ganha com isso? Aliás, existem benefícios expressivos e rentáveis de verdade?

Continue lendo para entender melhor. 

Custos x benefícios de migrar para a nuvem

A nuvem proporciona para as empresas um ambiente de trabalho totalmente integrado, inteligente e digital. Dessa forma, as equipes, aliadas com toda a corporação, ganham produtividade ao acessarem a capacidade de atender todas as demandas com maior agilidade.

Os custos da migração para a nuvem estão relacionados com a empresa parceira para realizar esse processo de planejamento e o pagamento da mensalidade da cloud contratada como, por exemplo, Google ou Azure. 

Pode ser complicado levar esse argumento a um CFO, mas o maior ganho financeiro da migração para a nuvem está atrelado aos benefícios que trazem retorno sobre o investimento e passam a reduzir custos de operações. 

Uma TI com estruturas físicas e on-premises gasta regularmente com novas configurações, falhas recorrentes e atualizações quase mensais, fora o remanejamento de recursos quando se fazem necessárias novas demandas. 

Além disso, a redução de riscos e a melhoria na produtividade e escalabilidade dos negócios, a médio e longo prazo, são revertidas em lucratividade para a organização. Por isso, é necessário um planejamento prévio e detalhado com os prós e contras para todas as áreas. 

Que tipo de custos a nuvem traz para as empresas?

Os custos dessa jornada de cloud são os relacionados à migração para a nuvem. Neste ponto, vamos calcular os custos da preparação para a jornada, da migração em si e das operações após a migração para a nuvem. 

Custos pré-migração

Esse primeiro passo está relacionado com o planejamento, ou seja, a preparação para a migração. Aqui, deve-se pensar quanto tempo as equipes vão levar planejando e o quanto isso reflete delas fora de suas operações originais. 

Nesse ponto, é essencial pensar na segurança dos dados, informações e aplicativos, no armazenamento necessário, na rede, engenharia e organização desses processos. 

O mais comum nesse cenário é que a empresa que decide migrar para a nuvem contrate um parceiro especialista em migração, que já dispõe de experiência em planejamento para a jornada e gerenciamento de riscos. 

Custos de migração para a nuvem 

Os custos do momento da migração para a nuvem também estão relacionados à equipe que demandará tempo para essa jornada. Seja o custo do tempo de uma equipe interna que não vai estar alocada em seu time original ou o custo de uma equipe terceirizada e a contratação de seus serviços. 

Da mesma forma, como falado acima, contratar uma empresa especializada tem o melhor custo-benefício em relação ao gerenciamento de riscos, experiência com empresas de diversos setores, agilidade e profissionalismo. 

Custos pós-migração

Antes de remover toda a carga de um data center on-premises, uma dica, geralmente citada por profissionais, é acompanhar os custos envolvidos na operação antes da migração total para a nuvem. Essa análise dá margem para uma comparação futura. 

É importante ressaltar que uma migração para a nuvem, a depender do planejamento e do orçamento envolvido, pode demorar. Nesse meio tempo, haverá custos com a migração atual e a operação rotineira. 

Os gastos com a equipe permanecem, sendo que a operação ainda precisa ser acompanhada, e novas ferramentas, monitoramento e gerenciamento na nuvem serão necessários. 

Quais são os benefícios envolvidos ao migrar para a nuvem?

  • Com a empresa rodando na nuvem, um dos primeiros benefícios é não precisar mais gastar, manusear e configurar hardware e software. Outros pontos positivos desse tópico são: economia com energia, refrigeração e espaço físico. 
  • O provedor de nuvem também é responsável pelos servidores, redes e suporte, então, sua equipe de TI pode ficar alocada em funções mais estratégicas e menos operacionais. 
  • Com os sistemas atualizados e rodando em nuvem, as integrações são facilitadas e demandam gastos menores por serem facilmente instaladas, trazendo novos recursos às equipes. 
  • A nuvem sustenta uma maior quantidade de dados, tornando-os mais ricos, seguros e disponíveis para os colaboradores poderem trabalhar e se beneficiarem de insights mais assertivos
  • Sob os cuidados dos provedores, os dados e informações ficam em maior segurança, com camadas de proteção criptografadas e de difícil acesso por meios não confiáveis. A segurança traz credibilidade e diminui o risco de vazamentos, que custam muito caro. 

Migrar para a nuvem é um bom investimento?

Por fim, vimos que a migração para a nuvem pode não ser tão simples ou tão econômica como contam algumas matérias. Mas, embora essa jornada demande investimento e planejamento, ela traz os benefícios necessários para obter um bom ROI e, a partir do momento em que tudo estiver rodando na nuvem 100%, todo o sistema fica mais positivo e benéfico para a rotina, a produtividade, os resultados e todos os pontos que envolvem inovação e transformação digital. 

Em todos os casos, a parceria com uma empresa experiente e profissional em migração para a nuvem é essencial para que todos os detalhes resultem como o planejado, assim como orçamento, gerenciamento de riscos, agilidade e confiança.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

4 + 11 =