Empreendedorismo feminino: 8 mulheres revolucionárias na tecnologia

empreendedorismo feminino
6 minutos para ler

É impossível ignorar a importância da diversidade no ramo da tecnologia. Apesar dos desafios, como a baixa representatividade das mulheres no setor e desvalorização salarial que elas ainda sofrem, existem mulheres que revolucionaram esse mercado.

Por isso, hoje queremos apresentar alguns dos grandes nomes dentro do empreendedorismo feminino dentro da área de tecnologia para que você conheça um pouco mais das realizações dessas profissionais de destaque. Vamos juntos? Aproveite a leitura!

1. Ada Lovelace

Ada Lovelace, ou Condessa de Lovelace, como também era conhecida, tem um papel fundamental dentro da tecnologia como conhecemos hoje. Embora em tempos remotos, por volta de 1843, ela foi a pioneira na utilização de algoritmos na história da computação.

Seu trabalho naquela época era justamente traduzir textos matemáticos que tinham ligação com o cálculo de uma dada sequência de números racionais de Bernoulli. Apesar de todo o esforço, todos os seus avanços só foram tomados como certos depois que ela morreu.

Naquele ano, não existia qualquer tipo de equipamento capaz de comprovar a veracidade da aplicação dos algoritmos. Foi só anos mais tarde que a Sociedade Britânica de Computação premiou a cientista em tecnologia pela sua grande contribuição à área.

2. Carol Shaw

Se muitas mulheres não se lançam no mercado da tecnologia por medo de empreender, esse certamente não foi o caso de Carol Shaw. Ela foi a primeira mulher historicamente reconhecida por trabalhar em uma companhia de games — a Atari.

Pelo trabalho incrível que desempenhou, ainda foi contratada pela Activision e participou ativamente de desenvolvimento do River Raid, um dos jogos mais populares da empresa na época. Mas é claro que não foi só isso. Dentro do projeto, ela criou o primeiro sistema capaz de tornar real a possibilidade de ir avançando entre as fases do jogo, diferenciando uma da outra. Um baita caso de empreendedorismo interno, não é mesmo? O currículo dela ainda inclui:

  • 3D Tic Tac Toe;
  • Super Breakout;
  • Happy Trails.

3. Grace Hopper

Seu PC já sofreu algum bug? Se sim, você pode ficar feliz ao saber que a pessoa responsável por inventar essa expressão foi uma mulher: Grace Hopper. Além de ser a primeira a se formar na Universidade de Yale com um PhD em Matemática, foi a primeira almirante da marinha dos EUA e uma das criadoras da linguagem COBOL. Tá bom para você?

Além disso, foi uma das grandes incentivadoras da participação feminina no empreendedorismo tecnológico. É dela aquela frase que diz que é mais fácil pedir perdão do que permissão. Bem encorajador, não é mesmo?

Conhecida por “incrível Grace”, ela também compôs a Eckert-Mauchly Computer Corporation. Lá, ela fazia parte do time que criou o primeiro computador comercial dos Estados Unidos, o UNIVAC, que custava mais de US$ 1 milhão.

4. Roberta Williams

Voltando um pouco aos games e à experiência do usuário, precisamos mencionar Roberta Williams, que, ao lado do marido, fundou a On-Line Systems, precursora da Sierra. A empresa fez muito sucesso dentro da indústria dos jogos, lançando títulos como:

  • King’s Quest;
  • Phantasmagoria;
  • Half-Life;
  • Counter-Strike.

Roberta conheceu os jogos por meio de um game desenvolvido em texto. A partir dele, teve a disruptiva ideia de atribuir um visual para as cenas, o que a estimulou a desenvolver os futuros jogos da empresa familiar.

Com diversos estúdios e negociações, a companhia foi adquira pela Vivendi, que se juntou à Activision, transformando-se na maior empresa do segmento da atualidade. A Sierra deu adeus ao mercado ainda em 2008, mas retornou em 2014 e ainda hoje influencia muitos apaixonados e apaixonadas por games e tecnologia.

5. “As garotas do ENIAC”

Um é bom, dois é pouco e três é demais? Não para as garotas do ENIAC, sete meninas que operavam um hardware de 80 toneladas manualmente. O time era composto por:

  • Kathleen McNulty;
  • Frances Bilas Spence;
  • Mauchly Antonelli;
  • Marlyn Wescoff Meltzer;
  • Jean Jennings Bartik;
  • Frances Synder Holber; e
  • Ruth Lichterman Teitelbaum.

Juntas, elas tinham o objetivo de programar e colocar para rodar um computador capaz de fazer em segundos um cálculo que levaria até 30 horas para ser solucionado à mão. O limite do prazo era para que ele fosse utilizado durante a Segunda Guerra Mundial para calcular a trajetória de mísseis e bombas, mas não foi possível.

Ainda assim, o feito do ENIAC fez sucesso, tanto que está documentado em The Computers, uma produção lançada no ano de 2014 que conta a história dessas mulheres. Hoje em dia, também temos grandes influenciadoras no segmento aqui no Brasil.

6. Nina Silva

Brasileira, Nina é uma das 100 afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo. Ela é executiva de TI e sócia-fundadora do Movimento Black Money, que tem como finalidade promover o desenvolvimento do afroempreendedorismo ao estimular jovens e adultos à inovação.

Um dos resultados mais conhecidos desse esforço é o D’Black Bank, que oferece crédito a empreendedores negros a fim de movimentar esse mercado.

7. Camila Achutti

Camila é outra brasileira que vem fazendo sucesso no mundo da tecnologia. Com menos de 30 anos, ela já tem duas startups nesse universo. Além de ser uma das fundadoras da Ponte21, uma consultoria de inovação, ela ajudou a criar uma plataforma de educação sobre a área — a Mastertech.

O maior objetivo dela é transformar a tecnologia em algo democrático para que os jovens possam aprender e se desenvolver. Além da formação em Ciências da Computação, ela já estagiou na Google, trabalhou no Iridescent Learning e começou seus próprios empreendimentos.

8. Cristina Junqueira

Impossível falar de tecnologia sem mencionar as fintechs e a Cristina Junqueira. A empreendedora encabeça o Nubank, a fintech mais popular por aqui. Sua ideia superou o primeiro bilhão de dólares faturados em pouco tempo.

Com formação em Engenharia de Produção, ela tem uma larga experiência no setor financeiro e como executiva. Com isso, reuniu mais dois sócios e hoje é uma das presidentes das maiores empresas de tecnologia financeira do Brasil.

É inegavelmente importante a participação dessas e de outras mulheres no mercado de tecnologia, levando o próprio talento para dentro desse segmento tão competitivo e inovador. Além disso, esses nomes podem ser grandes referências para inspirar uma nova geração de sonhadoras e realizadoras dentro do empreendedorismo de TI.

Se você curtiu saber mais sobre esse assunto e conhecer esses nomes do empreendedorismo feminino, não deixe de compartilhar este conteúdo nas suas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

seis − 4 =