Migração do sistema legado: 8 ameaças a empresas que não se modernizam

sistema legado
6 minutos para ler

A tecnologia é fundamental para o diferencial competitivo de negócios modernos, mas sabia que a falta de um planejamento para a área pode também trazer ameaças para a sua empresa?

O uso de sistema legado pode ser interessante em um primeiro momento por ser uma solução familiar para os profissionais. O problema começa quando ele se torna menos eficiente com o tempo, trazendo sinais da idade que podem atrapalhar o potencial de crescimento do negócio.

Para você entender por que é fundamental atualizar sua infraestrutura tecnológica, preparamos este artigo especial com as 8 ameaças com as quais empresas que não se modernizam precisam lidar. Confira!

1. Falta de segurança da informação

O primeiro ponto que queremos levantar é um dos mais importantes na era da Transformação Digital e entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Mais do que produtividade e eficiência, os negócios com gestão orientada a dados devem priorizar a segurança e a disponibilidade de seu sistema.

Sistemas legados costumam parar de receber atualizações a partir de certo ponto, ou até deixar de ser o foco de desenvolvimento do fornecedor. Isso faz com que falhas conhecidas não sejam corrigidas, abrindo brechas significativas na sua barreira lógica contra-ataques virtuais.

Investir em sistemas mais modernos, principalmente no modelo as a Service, garante um alinhamento maior entre a evolução de ameaças externas e a capacidade de proteção da solução interna. Quanto mais inteligente a solução, mais tranquilidade a empresa tem para utilizar dados de maneira estratégica.

2. Dificuldades com manutenção

Esse abandono natural de sistemas legados ao longo do tempo pode tornar seu uso mais complexo também em áreas além do contexto de segurança da informação.

Afinal, suas ferramentas começam a se tornar obsoletas em relação a outras de mercado, assim como a documentação para utilização do software e até serviços de suporte.

Quando há um problema, a empresa fica mais exposta à possibilidade de paradas completas de produção. A TI precisa de mais tempo para analisar e resolver problemas, deixando dados e processos indisponíveis por mais tempo.

E essa precariedade pode levar aos famosos “jeitinhos” para driblar ferramentas inoperantes e dados indisponíveis, levando ao inchaço da infraestrutura e complexidade cada vez maior da cadeia produtiva.

3. Pouco controle de custos

Sistemas legados, na maioria das vezes, foram adquiridos no modelo de licença e, portanto, não geram custos diretos ao longo dos meses. Isso é suficiente para que muitos executivos achem que estão economizando ao não atualizar seu parque tecnológico.

Mas, na verdade, essa é uma visão limitada sobre os custos gerados por processos ineficientes. Sistemas mais modernos podem agilizar etapas de produção, diminuir o tempo ocioso e até reduzir custos com recursos físicos e lógicos.

Portanto, investir em soluções mais inteligentes significa receber economia como retorno. Isso faz muita diferença, principalmente na competitividade a longo prazo.

4. Produtividade deficiente

Muitos profissionais mantêm essas soluções em suas empresas por achar que a familiaridade com sistema leva à eficiência produtiva. O que não consideram é que a produtividade hoje não é medida apenas pela capacidade dos profissionais de utilizarem uma ferramenta.

Com um sistema moderno, é possível automatizar processos e facilitar o acesso a dados, tornando o papel de colaboradores mais estratégico e cortando funções manuais secundárias de suas rotinas.

5. Despreparo da equipe

Nem mesmo a questão da familiaridade se apresenta de maneira tão aparente quando comparamos de perto sistemas legados a versões mais modernas. Com o passar do tempo, são exatamente as ferramentas mais antigas que se tornam mais obtusas de uso.

Os grandes softwares de gestão atuais prezam muito pela intuitividade de uso e implementação natural dentro da rotina de empresas de todos os tipos. Basta um planejamento de implantação bem desenhado para que seu potencial esteja em prática desde o primeiro dia.

Isso inclusive conta a favor do preparo da equipe ao longo do tempo. O mercado irá se mover para frente sempre, em busca de novas soluções, práticas e processos. Seguir esse movimento com investimentos inteligentes significa treinar os colaboradores para serem sempre inovadores e proativos.

6. Falta de integração de processos

Eficiência produtiva, segurança da informação, preparo da equipe. Tudo o que falamos até agora converge para uma necessidade do mercado atual: a integração de dados e processos para um negócio inteligente.

Soluções como SAP oferecem de maneira nativa esse tipo de centralização da informação, que torna tanto a gestão quanto a operação mais inteligentes e estratégicas.

E se esse tipo de visão de negócio é fundamental para a competitividade, seguir utilizando sistemas legados impede que a empresa alcance líderes de mercado.

7. Dificuldade de comunicação

Uma parte fundamental da integração que a tecnologia proporciona é a aproximação definitiva de departamentos e pessoas dentro de uma empresa, seja qual for o seu tamanho.

Os sistemas mais modernos oferecem de maneira mais simples e eficiente o acesso a ferramentas de comunicação em tempo real, gestão de times e projetos e compartilhamento de dados e registros.

Para essa nova era digital, em que trabalho remoto e disponibilidade se tornam tão importantes para a produtividade, sistemas legados se apresentam como um desafio desnecessário de adaptação. A renovação das ferramentas é um caminho muito mais seguro para o sucesso.

8. Dificuldade de acompanhar tendências de mercado

Ao longo de todos os itens, passamos pela importância que a informação tem para a competitividade do futuro. Afinal, é dela que você extrai insights de mercado, identifica tendências e desenha estratégias para aproveitá-las.

Quanto menor for a capacidade da sua infraestrutura de disponibilizar esses dados, mais difícil fica acompanhar concorrentes e o próprio público. Investir em tecnologia é se colocar sempre em posição de inovar e se adaptar — ações fundamentais para sobreviver daqui em diante.

Ou seja, mesmo que sua Transformação Digital ainda não seja completa, os primeiros passos nesse sentido precisam ser o investimento em soluções modernas e integradas de gestão de dados.

Sistemas legados podem parecer confortáveis e familiares a princípio, porém essa hesitação em perceber a importância da inovação pode cobrar caro para quem não se prepara.

Falando em modernização do sistema legado, que tal ficar por dentro da migração para a nuvem? Baixe nosso e-book O futuro das empresas está na nuvem. Como se preparar?. Boa leitura!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

3 × dois =