Internet das Coisas: confira 4 principais aplicações na empresa

aplicações de internet das coisas
7 minutos para ler
aplicações de internet das coisas

A popularização cada vez mais rápida de serviços de IoT vem demonstrando o quanto as aplicações de Internet das Coisas podem se tornar a grande mudança na relação entre negócios e tecnologias nos próximos anos.

É um aprofundamento ainda maior no conceito de gestão baseada em dados, mas como exatamente ela acontece na prática? Neste artigo, veja o que é IoT e as principais aplicações possíveis em qualquer tipo de empresa. Boa leitura!

Como surgiu a Internet das Coisas e como funciona?

O nome Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT), surgiu de maneira natural como um jeito de descrever a base desse conceito para o público geral. Quando falamos da raiz dessa tecnologia, estamos analisando exatamente o uso da internet em objetos inteligentes para coleta e compartilhamento de dados.

Um dispositivo IoT geralmente conta com sensores para medição de indicadores bem específicos. A diferença para outros equipamentos de medição do passado é que, com o avanço tecnológico, hoje é possível incluir mais processamento e inteligência neles, para que consigam medir, analisar, compartilhar dados e agir de maneira autônoma.

As primeiras aplicações de IoT vieram da indústria. Tratava-se de dispositivos capazes de controlar padrões de produção, como velocidade e temperatura, e comunicar diretamente com o sistema — tanto para a geração de relatórios quanto para o ajuste ou interrupção do processo caso fosse identificada uma anomalia.

Porém, com o tempo, esses equipamentos vêm se tornando cada vez menores e mais capazes. Isso significa que a aplicabilidade de IoT cresce exponencialmente como tempo.

Atualmente, é possível contar com aplicações de Internet das Coisas em qualquer tipo de empresa, para os mais variados objetivos. De wearables que monitoram pessoas a grandes sensores de produção, a união de Inteligência Artificial (IA) com um bom uso de dados está revolucionando a maneira como o mercado lida com sua própria produtividade.

Quais as principais aplicações de Internet das Coisas?

Como comentamos, hoje as possibilidades de implantação de IoT são tão variadas que as empresas podem criar seus próprios ambientes de controle customizados de acordo com seus objetivos.

Dentro dessas possibilidades, no entanto, podemos separar o uso de Internet das Coisas em 4 aplicações principais, que trazem todos os benefícios da automação e inteligência de negócio independentemente de como a tecnologia seja consolidada dentro da empresa. Confira quais são.

1. Coleta e compartilhamento de dados

O principal objetivo da IoT é utilizar a automação de coleta e análise de dados para dar ainda mais poder à gestão de empresas transformadas digitalmente.

O que dispositivos inteligentes fazem é monitorar constantemente aspectos únicos de uma rotina produtiva, seja por pessoas ou máquinas. Assim, alimentam em tempo real o sistema que acompanha essas atividades.

O compartilhamento imediato e confiável de dados tem ganhos a curto e longo prazo. No curto, Inteligência Artificial e Machine Learning atrelados a essa plataforma podem identificar problemas e corrigi-los on-the-fly — em muitos casos, sem qualquer participação humana.

No longo, relatórios mais ricos originados desse volume maior de informação e integração de dados podem aumentar ainda mais a segurança de profissionais C-level da empresa na hora de fazer ajustes e criar novas estratégias.

2. Monitoramento de atividades e processos

Dentro desse novo modelo de coleta de dados inteligente, o uso mais comum atualmente da IoT está no monitoramento de processos produtivos, tanto em pessoas quanto em equipamentos tecnológicos.

Um exemplo prático bastante simples é a utilização de sensores para determinar o desempenho de uma máquina dentro da indústria: sua capacidade de produção, o estado de manutenção e segurança, a sua relação com os passos da cadeia produtiva antes e depois dela.

Mas a Internet das Coisas também vem evoluindo no monitoramento humano, que ajuda não só a aumentar a produtividade, mas também a analisar o bem-estar de colaboradores durante a rotina.

Esses são os wearables, dispositivos inteligentes que podem ser “vestidos” por pessoas para monitorar dados de movimentação, localização e saúde. Já são muito utilizados na indústria atualmente, mas é o tipo de aplicação da tecnologia que promete se difundir com mais relevância nos setores de serviço e varejo.

A implementação de wearables poderá facilitar o trabalho de profissionais e encurtar processos com a automação do compartilhamento de dados produtivos. É mais um recurso para otimizar o trabalho, uma busca constante na nova era digital.

3. Gerenciamento de estoque e logística

Setores de varejo on-line e supply chain estão crescendo bastante nos últimos anos, com uma aceleração ainda mais significativa durante a pandemia. E é outra área em que a aplicação de IoT vem se tornando um destaque.

Nesse contexto, o grande ganho das empresas é em rastreabilidade. Com o uso de tags inteligentes, leitores automatizados e geolocalização, é possível ter mais controle sobre estoque e logística, desde a preparação do pedido até sua movimentação na entrega e comunicação automática com o cliente.

4. Auxílio para a tomada de decisões

Falamos de coleta e compartilhamento de dados, de gerenciamento logístico, de otimização produtiva e automação de processos. Todas essas aplicações são fundamentais para a competitividade do futuro e nos levam a um último item na lista.

Você já deve perceber na sua rotina o quanto a informação é importante para guiar a empresa por caminhos melhores durante a era digital. Agilidade e assertividade são cruciais para o sucesso de gestores.

E, nesse ponto, a IoT se torna mais uma origem importante de dados de negócio. Seu caráter especializado e automatizado de coleta permite que você tenha acesso a relatórios mais ricos sobre questões de produção, de conversão e de mercado.

Com essas informações em mãos, profissionais C-level ganham mais pontos de comparação e argumentação na hora de traçar as melhores estratégias. Quanto mais inteligente é o uso de dados passados, mais confiáveis são as projeções. A Internet das Coisas traz uma nova dimensão para essa busca.

Como aplicar a Internet das Coisas na empresa?

Aplicar Internet das Coisas é um processo único para cada empresa. É necessário levar em conta o tipo de produção, a forma como os colaboradores trabalham, equipamentos utilizados e objetivos de otimização.

No entanto, podemos dar uma dica fundamental para começar: sem Transformação Digital e integração de dados, é impossível alcançar o potencial da IoT.

É preciso primeiro investir no uso de sistemas integrados e automatizados, que cubram todos os processos produtivos do negócio e, principalmente, ofereçam uma visão inteligente desses dados em um único ambiente virtual.

Existe um número cada vez maior de aplicações de Internet das Coisas dentro de empresas. Porém, a base dessa revolução está na Transformação Digital que você pode promover — e fazer com que dados se tornem os maiores ativos na hora de aumentar sua competitividade.

Que tal, então, contar com uma parceira especializada em acelerar negócios com tecnologia e inteligência para grandes empresas no Brasil e no exterior? Entre no site da BRQ Digital Solutions e conheça nosso trabalho!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

10 − sete =