Guia completo com boas práticas de Engenharia de Software

12 minutos para ler
DATA MESH

Investir em Engenharia de Software dentro das empresas é um dos principais caminhos utilizados hoje por profissionais C-level para a introdução de inovação, dinamismo produtivo e foco no cliente.

Com o desenvolvimento de soluções próprias, esses negócios estão alcançando altos níveis de customização de experiências e eficiência operacional. Assim, trazem a Transformação Digital para dentro do escritório de uma maneira mais personalizada.

Se você está buscando esse tipo de suporte para suas novas estratégias em mercados competitivos, este guia é o lugar perfeito para começar.

Aqui, vamos abordar todos os tópicos que precisam estar bem definidos para implementar sua própria rotina de desenvolvimento na empresa: os princípios básicos, seus desafios e práticas e ferramentas. Boa leitura!

Princípios básicos da Engenharia de Software

Antes de começar a falar sobre prática, é preciso definir com objetividade o que é a Engenharia de Software, para que você possa entender como sua implementação traz uma nova dimensão inovadora e produtiva para a empresa.

O contexto geral dessa atividade é simples de ser entendido, já que a engenharia em si é um processo de planejamento e construção de estruturas tão antigo quanto a própria humanidade.

Porém, quando levamos o conceito da engenharia para a criação de softwares, trazemos algumas particularidades tecnológicas, principalmente porque a sua estrutura lógica está em constante modificação.

A Engenharia de Software é uma atividade que desenvolve — a partir de linguagem de programação, planejamento e recursos digitais como bancos de dados — aplicações capazes de realizar funções específicas ou oferecer ferramentas de interação interna e externa a um negócio.

O produto resultante desse trabalho pode ser um sistema de informação, plataforma de produtividade, ferramenta para tarefas específicas, sistemas de comunicação e até experiências digitais para clientes. A Engenharia de Software dentro do negócio permite criar um ambiente de inovação e personalização, capaz de encontrar soluções próprias para problemas e/ou objetivos específicos.

Para que sua implementação seja bem-sucedida, a Engenharia de Software precisa de método. Nesse sentido, podemos dizer que existem princípios básicos a serem adotados pela equipe de desenvolvimento:

  • formalidade de processos, racionalizando passos e responsabilidades da equipe durante o desenvolvimento de soluções digitais;
  • abstração de objetivos, permitindo que o desenvolvedor identifique problemas e metas a serem solucionadas sem ruídos;
  • discriminação de objetivos, em que essa visão de problemas e objetivos seja quebrada em etapas racionais de planejamento e produção;
  • generalização do plano para que as hipóteses específicas sejam aplicáveis em uma solução generalista que atinja todos os objetivos;
  • quantificação de resultado, tornando a peça de software analisável de ponto de vista mais direto que aponte o sucesso e o fracasso de novas hipóteses;
  • iteração constante, propiciando o desenvolvimento contínuo de melhorias de acordo com análise de resultados e novas demandas de mercado.

Levando todos esses pontos em conta, podemos concluir que a Engenharia de Software é um processo para construir soluções a partir de dores da empresa, do público e do mercado.

Para que ela seja confiável, deve ser organizada, sistemática, metódica e quantificável. Se bem-sucedida dentro desses parâmetros, a Engenharia de Software pode ser o fator competitivo que a empresa busca para aumentar a eficiência produtiva, encantar clientes e se consolidar no mercado.

Os maiores desafios da Engenharia de Software

Embora a Engenharia de Software traga muitos benefícios para negócios dinâmicos, ainda é comum ver profissionais C-level com dificuldades em implementá-la dentro do negócio — seja para desenvolver soluções internas ou para clientes exigentes, principalmente B2B.

Essa dificuldade tem muito a ver com os desafios relacionados a essa rotina. Conhecer os pontos de atenção ao longo dessa jornada facilita na hora de preparar um ambiente organizado e eficiente de desenvolvimento, com foco em objetivos de transformação. Veja os principais desafios da prática.

Definição do escopo de projeto

Como afirmamos um pouco mais acima, a Engenharia de Software é muito dependente de métodos e processos sistemáticos para que o resultado final reflita o planejamento inicial. A falta de escopo em um projeto de desenvolvimento é um dos problemas que mais afeta o sucesso de empresas nesse sentido.

Quando você decide criar uma solução digital, precisa ter em mente com clareza o que ela vai solucionar. É assim que se entende o caminho de desenvolvimento, a complexidade e os tipos de recursos que serão necessários ao longo de determinado tempo. Essa visão objetiva é fundamental para seu sucesso.

Consolidação dos princípios da Engenharia de Software

Um ponto que atrapalha empresas menos organizadas é o abandono dos princípios que citamos durante o processo de construção do software.

Muitas vezes, problemas com prazos, funcionalidades e demandas se tornam uma tentação para que a equipe responsável acelere etapas, corte ideias e tente entregar a solução de qualquer forma.

É sempre bom lembrar que um software que não atende aos seus objetivos pode ser frustrante e prejudicial para a rotina do negócio. Se você mantém seu time focado nos resultados, é possível contornar obstáculos e entregar um produto que realmente atende às suas necessidades.

Conexão entre solução e demanda

Esse é um ponto que parece óbvio, mas é impressionante a quantidade de softwares que têm seu potencial desperdiçado dentro de empresas quando o projeto e sua equipe perdem a conexão com os objetivos que tinham durante sua concepção.

A falta de objetividade é um dos grandes limitadores do sucesso em Engenharia de Software. Por isso os Project Managers são pessoas com perfil agregador e sistemático, que conseguem manter os trilhos do desenvolvimento e focar o time no que realmente interessa.

Usabilidade e experiência

Não adianta uma solução digital atingir um objetivo lógico para o qual foi criada se ela não funciona na prática. Mais do que recursos e ferramentas, um software precisa de usabilidade para conectar suas funcionalidades aos resultados no mundo real.

A UX, ou experiência do usuário, é um dos pontos mais discutidos atualmente na Engenharia de Software. É a capacidade da solução de entregar uma interatividade que não só se torna prática e intuitiva, como cria um hábito de uso que facilita sua adesão.

É uma questão voltada primeiramente ao desenvolvimento de software para o público final, mas que também faz muita diferença na eficiência produtiva em soluções internas.

CTA animado Cloud

Continuidade

Um dos grandes desafios da Engenharia de Software é que esse processo não termina quando o primeiro objetivo é alcançado — e ele nunca pode ser visto dessa forma.

Quando uma empresa se compromete ao desenvolvimento de uma solução digital, ela precisa analisar a evolução desse produto a médio e longo prazo, com roadmaps de evolução e aprimoramento de suas características práticas.

É mais um ponto em que investir em Engenharia de Software se torna um investimento em inovação e eficiência. E ele exige planejamento, foco em objetivos e uma boa estrutura operacional da equipe.

As melhores práticas de Engenharia de Software

Para usufruir dos benefícios de soluções personalizadas de software sem se perder nos desafios que esse tipo de projeto apresenta, a empresa precisa se certificar de que constrói e aplica as práticas de desenvolvimento da maneira correta.

Essa é uma busca para dar racionalização a processos, garantir resultados e priorizar a qualidade da solução em relação a seus objetivos. Veja as práticas mais importantes para aproveitar o potencial da Engenharia de Software.

Crie uma equipe multidisciplinar

Embora o engenheiro de software seja o responsável pelo projeto, isso não significa que sua equipe deve ser restrita a desenvolvedores e profissionais da área tecnológica.

Afinal, seu objetivo provavelmente é criar soluções produtivas para a empresa ou novas experiências digitais a clientes. Nesse sentido, o desenvolvimento deve ser alinhado com os resultados práticos de negócio. A participação de usuários, vendedores, diretores e outros tipos de colaboradores pode ajudar a encontrar insights mais pertinentes dentro das possibilidades do software.

Implemente uma metodologia

As metodologias ágeis, por exemplo, são muito eficientes para criar um ambiente consolidado de Engenharia de Software dentro da empresa. Existem vários exemplos como, Kanban, Scrum etc.

Independentemente de qual seja a escolhida, todas elas têm especificidades, tanto de abordagem de produção quanto de alinhamento com perfis profissionais. Portanto, é sua função pesquisar e escolher aquela que melhor se encaixa na sua equipe e no seu produto.

Levante requisitos e recursos necessários

Desde o planejamento de um novo software, a empresa precisa saber exatamente quantas pessoas, recursos e tempo serão necessários para o desenvolvimento. Esse levantamento é feito com todas as partes relacionadas e vai guiar decisões produtivas ao longo de toda a vida útil da solução.

Invista em comunicação

A comunicação hoje é fundamental para a eficiência da Engenharia de Software. Nesse aspecto estão o alinhamento de objetivos, a troca de informações imediatas sobre o produto, histórico de mudanças, reuniões e até o versionamento do código para que haja sintonia entre todas as partes envolvidas.

Utilize a prototipagem

A criação de protótipos é fundamental tanto na validação de novas ferramentas quanto no estudo da usabilidade e experiência de um novo software em seu uso prático.

O ideal para a Engenharia de Software é que seja possível testar a solução assim que se alcança um mínimo produto viávelMinimum Viable Product, ou MVP, em inglês. A partir desse corpo principal é que desenvolvedores estudam e buscam aprimoramentos para um software cada vez mais eficiente e prático.

Crie um ciclo de melhorias

Como citamos, o desenvolvimento é um processo que nunca para de iterar sobre o software enquanto ele for útil para a empresa. Esse ciclo deve ser bem definido dentro da equipe e da metodologia utilizada.

A ideia é que a evolução nunca pare. Ao completar uma nova etapa de engenharia, essa funcionalidade é posta à prova e mensurada; e os resultados são utilizados para o próximo degrau.

Meça os resultados

Falando em medir, a capacidade de profissionais C-level para coletar e analisar dados é cada vez mais importante no mercado. Isso vale também para a Engenharia de Software.

O monitoramento de indicadores de performance da solução aponta para oportunidades de melhorias e desafios que ainda podem ser superados.

Ferramentas que podem contribuir para a Engenharia de Software

Para um projeto que envolve colaboração, etapas eficientes e visão inteligente de processos, é claro que a Engenharia de Software se torna mais otimizada quando ferramentas apoiam a produtividade da equipe.

Para isso, não existem soluções universais. Cada empresa deve adaptar sua rotina de desenvolvimento aos seus objetivos e às particularidades da solução desejada. Mas podemos sugerir alguns tipos de ferramentas em áreas relevantes para cobrir as necessidades desses processos. Veja alguns exemplos:

  • ferramentas de comunicação e gestão de times, como Slack e Trello, facilitam o alinhamento de etapas produtivas e a comunicação da equipe em tempo real;
  • ferramentas de organização e versionamento, como Git, auxiliam na racionalização das mudanças e branches de desenvolvimento, para um maior controle sobre as mudanças sendo postas em prática e troubleshooting;
  • ferramentas de desenvolvimento, como Eclipse IDE, Matlab e outras, que atendem a propósitos específicos de desenvolvimento e agilizam o trabalho dos engenheiros;
  • plataformas de gestão geral, como ERPs e SAPs, que dão aos C-levels não só a visibilidade de processos de desenvolvimento, como a capacidade de medir seu impacto na prática do negócio.

As opções no mercado são diversas, de propostas mais gerais a ferramentas bastante específicas. Durante o planejamento do projeto, reunindo toda a equipe, essas necessidades ficarão claras sobre as soluções certas nas quais investir.

Engenharia de Software e a BRQ

Transformar negócios com tecnologia, auxiliando as empresas em suas jornadas de Transformação Digital é o objetivo da BRQ. E uma das maneiras de fazermos isso é por meio dos nossos times especializados em tecnologia, os Squads BRQ.

São equipes formadas por profissionais altamente capacitados no desenvolvimento e na implantação de estratégias e ferramentas que transformam soluções digitais em resultados práticos para as empresas — mais eficiência, redução de custos, inteligência de dados, dinamismo produtivo, entre outros.

Atuando com frameworks próprios baseados em gestão Lean, Agilidade e Engenharia de Software, os Squads oferecem o máximo de conhecimento e expertise tecnológico possível para o seu negócio.

Deseja conhecer mais sobre os nossos times especializados? Confira mais detalhes e entre em contato conosco!

Imagem – DCStudio – br.freepik.com

Cultura data-driven
Você também pode gostar

Deixe um comentário

dois × dois =