Aceleradora de startups: o que é e como funciona na prática?

aceleradora de startups
7 minutos para ler
DATA MESH

A era digital é também a era das startups. Isso porque a Transformação Digital, principalmente na última década, permitiu que empreendedores com ideias inovadoras conseguissem entrar e se consolidar no mercado mesmo com poucos recursos.

Porém, por melhor que seja uma ideia, essas empresas podem crescer mais rápido ainda se tiverem auxílio para montar seu modelo de negócio, escalar a produção e investir em tecnologia.

Esse é o papel da aceleradora de startups. Neste artigo, veja como funciona, seus tipos e como escolher a melhor no cenário atual de mercado. Boa leitura.

O que é uma aceleradora de startups?

Uma aceleradora de startups é uma instituição especializada em fomentação de negócios em seus estágios iniciais. Pode ser uma empresa especializada nesse tipo de trabalho ou um programa dentro de organizações, geralmente ligadas à área de tecnologia e inovação.

O objetivo de uma aceleradora é oferecer recursos, know-how e trânsito no mercado para conectar uma startup às oportunidades certas para que ela se posicione e se consolide para um público maior.

Daí vem o seu nome: com suporte estratégico, econômico e produtivo, uma startup que tem o que oferecer de novo ao mercado consegue alcançar objetivos iniciais de crescimento muito mais rápido, sem perder o timing de novas ideias para ganhar tração logo de cara.

Como funciona a aceleração de startups?

Existem diversos tipos de aceleração, e cada instituição que realiza esse trabalho pode ter seu próprio modo de planejamento e execução. Porém, podemos explicar em linhas gerais o que significa esse processo em uma startup.

Geralmente, o que uma aceleradora recebe em troca do programa é uma parte da empresa iniciante — seja em uma porcentagem negociada de acordo com seu valuation, seja em participação de lucros futuros.

A partir daí, o cronograma dessa parceria é dividido em módulos de ação para cada aspecto a ser desenvolvido dentro de uma startup que geralmente ainda tem operação e produção incipientes.

Algumas aceleradoras, por exemplo, começam buscando o aporte de recursos logo de cara, fazendo ponte entre uma ideia promissora e investidores-anjos. Mas claro que apenas o influxo de dinheiro não significa crescimento para um negócio.

A aceleradora busca também fazer uma consultoria na gestão e operação do negócio. Profissionais especializados sentam com empreendedores para lapidar melhor planos estratégicos, metas de crescimento e cronogramas de implantação de tecnologias.

Além disso, por estarem sempre conectados com diversos players de mercado, esses programas buscam fazer conexões relevantes entre startups, empresas, consultores e outros agentes importantes de mercado.

A ideia, portanto, é imergir a startup em um ambiente de inovação e transformação, ao mesmo tempo em que se estrutura o modelo de negócio com o uso inteligente de novos investimentos. Esse é o cenário perfeito para o crescimento rápido de novas empresas.

Quais são os tipos de aceleradora de startup?

Da mesma forma que existem diversas categorias e segmentos de startups para os diferentes setores de mercado, há a mesma variedade nos tipos de aceleradora disponíveis no mercado. Veja as mais comuns.

Aceleradoras privadas

Aceleradoras privadas são empresas criadas com o objetivo de aceleração. Esses negócios são construídos com metodologias específicas de desenvolvimento estratégico e contam com profissionais especializados em consultoria e administração moderna.

CTA animado Cloud

Geralmente, lucram com a participação no negócio acelerado, por isso fazem de tudo para que seus parceiros tenham sucesso.

Aceleradoras segmentadas

Dentro das aceleradoras privadas, existem aquelas que focam um setor de mercado ou modelo de negócio, como aceleradoras de restaurantes, de Digital Goods, de serviços em aplicativos etc. Por serem mais centradas, são ainda mais especializadas no crescimento das startups que aceleram.

Programas de governo

Existem programas públicos que funcionam como aceleradoras, oferecendo expertise e contatos no mercado para consolidar ideias que, de alguma forma, apresentam benefícios para a população — direta ou indiretamente.

Incubadoras

As incubadoras são aceleradoras em estágios ainda mais iniciais em relação às startups. Atuam normalmente na etapa de concepção de uma ideia inovadora, dando o suporte para a transformação dessa ideia em um modelo de negócio viável. São muito comuns em universidades e outras instituições de Ensino Superior.

Parcerias de aceleração

As parcerias de aceleração são projetos mais definidos de ação de crescimento escalável dentro de startups ou até empresas maiores. Geralmente, têm um objetivo claro, como a Transformação Digital do negócio ou o incremento na eficiência produtiva para aumentar as margens de lucro.

Nesse caso, a instituição especializada imerge na rotina da empresa e detecta pontos de oportunidade: gargalos a solucionar e inovações que podem ser potencializadas. Tudo isso, claro, é feito colocando a tecnologia como carro-chefe do processo. É o que a BRQ faz em suas parcerias, por exemplo.

Como escolher uma aceleradora e ter sucesso com isso?

Da mesma maneira que a popularidade das startups explodiu nos últimos anos, muitas aceleradoras foram criadas para pegar carona nessa nova dinâmica de mercado. Isso significa que há muitas opções interessantes para quem empreende, mas também que muitas dessas podem não oferecer o resultado que prometem.

Por isso, é fundamental saber escolher uma boa aceleradora. Para isso, é importante analisar três pilares: experiência, presença de mercado e modelo de atuação.

O ideal é que a aceleradora que você escolher já tenha uma boa rede de contatos no mercado e seja uma referência dentro dele, além de atuar de uma forma que faça sentido para o segmento em que a startup quer se inserir.

O mais importante é encontrar na aceleradora esse desejo de crescer junto com o seu negócio. Quando a empresa parceira compra a sua ideia, ela se preocupa ainda mais em encontrar as ferramentas e os métodos para alcançar objetivos o mais rápido possível.

O mercado atual é propício para aceleração de startups?

As startups continuam sendo um tipo de empreendimento promissor no Brasil, aquelas que incorporam as características de empresas do futuro. Apenas em 2021, essa modalidade arrecadou mais de R$ 50 bilhões em aportes financeiros. Isso significa que o mercado acredita em ideias inovadoras e está pronto para investir nelas.

Por outro lado, essa corrida leva muitos empreendedores a apostarem em ideias, modelos ou mercados equivocados, gerando também muitas quebras nos meses iniciais. Um estudo aponta que a segunda maior causa de fechamento de startups é falta de demanda, perdendo apenas para dificuldades de levantar capital. Ou seja, muita gente lança uma ideia sem ter a noção de como abordá-la e se manter no mercado.

Nesse cenário, a aceleração é ideal para vencer os primeiros passos do negócio. Afinal, é um processo multidisciplinar que não só capta recursos como também estrutura a empresa para que ela tenha tração logo de cara.

Buscar uma aceleradora de startups pode ser sua garantia de futuro. Basta que você saiba escolher aquela que se encaixa melhor nas suas necessidades, na sua filosofia e na sua relação com a tecnologia.

Quer saber mais sobre como utilizar metodologias para transformar e acelerar a eficiência do seu negócio? Então veja o que é a metodologia OKR!

Cultura data-driven
Você também pode gostar

Deixe um comentário

dezenove − 14 =