Data mesh: o que é e 5 tendências dessa inovação para o mercado tech

data mesh
9 minutos para ler
DATA MESH

Se a informação é cada vez mais importante para o sucesso das empresas Data Driven, a maneira como elas armazenam, estruturam e organizam esses dados faz muita diferença para seu potencial competitivo. Você já ouviu falar de Data Mesh?

Esse novo conceito de arquitetura da informação está ganhando popularidade no mercado por aumentar ainda mais a eficiência e a inteligência de negócios em todos os seus setores na era digital.

Se você quer entender mais sobre o assunto e suas implicações práticas para o sucesso da sua empresa, veja tudo sobre o conceito e como investir. Acompanhe!

O que é Data Mesh

Data Mesh, também conhecido em português como Malha de Dados, é um tipo de arquitetura voltada para gestão corporativa descentralizada. Nele, o caminho entre stakeholders e a informação de que necessitam para realizar tarefas e tomar decisões é o menor possível.

O objetivo da estrutura de Mesh é tornar o banco de dados mais horizontal e democrático. Utilizando soluções modernas de TI, como controle de acesso e automatização de processos, é possível nivelar a prioridade de acesso para todos os colaboradores da empresa sob demanda.

O Data Mesh é uma evolução do Big Data consolidado nas empresas. O negócio tem o mesmo poder de coleta e Data Analytics em grandes volumes de dados, mas nesse caso, mais bem distribuídos. Assim, o poder de interpretação e reação de cada profissional conectado ao sistema se torna mais independente e efetivo dentro de insights segmentados e relacionados diretamente às suas funções.

Como funciona, na prática

A estruturação de um Data Mesh se inicia como qualquer uma das arquiteturas de dados modernas. Com utilização de soluções de armazenamento, como servidores dedicados ou Cloud Computing, a empresa passa a coletar e armazenar o máximo de informação disponível sobre produção interna, People Analytics, concorrentes e mercado como um todo.

Essa infraestrutura se diferencia a partir desse ponto. Em vez de contar com uma supervisão centralizada e camadas rígidas de acesso, o Data Mesh permite a qualquer colaborador buscar, visualizar e utilizar a informação que precisa para tomar decisões relevantes de negócio.

Por exemplo, se um profissional de vendas tem dificuldade nas conversões, pode desconfiar que algo na jornada do cliente criada pelo Marketing está servindo como gargalo. Para identificar o problema, ele pode ir diretamente nas informações coletadas pelo outro departamento, sem a necessidade de solicitar e esperar uma resposta.

Essa troca constante e direta de informações agiliza processos produtivos e aumenta a proatividade. Mas vale lembrar que, mesmo descentralizado, o Data Mesh tem suas responsabilidades.

Nesse caso que demos como exemplo, o Marketing é responsável por coletar e organizar as informações relacionadas a seu trabalho. Da mesma forma, essas interações com o setor de Vendas devem ser registradas para que possam enriquecer interpretações de todos no futuro.

Com o cuidado com os dados na entrada e a liberdade de utilização na saída, o negócio se torna mais dinâmico e pode acompanhar com mais velocidade as tendências do mercado moderno.

A diferença entre Data Mesh e outras arquiteturas

Quando analisamos a infraestrutura de coleta e armazenamento de dados, não há muita diferença entre Data Mesh e outras arquiteturas populares, sob o ponto de vista de Data Science. Investir em um sistema robusto de informação é fundamental para qualquer empresa que deseja ser competitiva no futuro.

A grande diferença está na outra ponta: na maneira como essas informações são utilizadas dentro da rotina do negócio. Uma das maiores evoluções do Data Mesh é sua organização em relação ao já conhecido Data Lake. A forma como esses dados são tratados ao serem centralizados em um sistema de informação é o que mais o diferencia.

O Data Lake, apesar de permitir a interação entre todos os tipos de dados, não tem o mesmo pré-processamento da malha de dados, fazendo com que essas informações, muitas vezes, percam seu contexto. Como dissemos, Data Mesh apresenta o conceito de propriedade, ou seja, cada departamento é responsável por dar contexto e significância para seus ativos.

Já em relação aos silos, ou Data Warehouse, o Mesh acaba com as barreiras entre diferentes camadas de credenciais e departamentos. Essa separação pode até ser interessante para focar a gestão de dados, mas não é mais tão eficiente para o mercado moderno.

Afinal, uma empresa digitalizada não tem mais ilhas operacionais. Tudo o que um departamento faz se reflete nos outros, como um grande organismo único. É por isso que o Data Mesh vem ganhando tanta relevância nos últimos anos.

Vantagens do Data Mesh

Com a definição do conceito e das particularidades da malha de dados, podemos analisar de maneira mais objetiva seu impacto dentro das empresas. Veja as maiores vantagens da arquitetura para quem implementa.

Escalabilidade da informação

O Data Mesh é o ponto perfeito entre Data Lake e Data Warehouse. Permite escalar a quantidade de dados disponíveis indefinidamente, mas ao mesmo tempo, dá contexto e consistência para essas informações.

CTA animado Cloud

Assim, a empresa consegue tratar números cada vez maiores de dados sem precisar aumentar muito os custos ou o esforço de análise. O Data Mesh sempre cresce exponencialmente, tanto em amplitude quanto profundidade.

Entrega rápida de dados

Uma das grandes vantagens do Data Mesh é conectar colaboradores diretamente à informação que precisam. Sem intermediários, sem esperar aprovação. É uma abordagem horizontal que integra todos os departamentos de maneira descentralizada.

Agilidade de análise

Com essa otimização no acesso aos dados, a análise de indicadores se torna cada vez mais rápida e significativa. Como o exemplo que demos, um profissional de vendas pode, em pouco tempo, reunir informação sobre Marketing, Financeiro e Operação para definir a melhor abordagem do seu setor.

Visibilidade de dados

Uma dúvida muito comum em quem começa sua pesquisa sobre Data Mesh é se essa liberdade de acesso não torna o sistema inseguro. Na verdade, o que acontece é o contrário. Como todos os colaboradores podem acessar todas as informações, isso significa também que todos podem visualizar e analisar as atividades relacionadas a elas.

Ou seja, qualquer anomalia é rapidamente identificada, e grande parte dos conflitos de registros deixam de existir — já que não se cria um cenário em que mais de um departamento está trabalhando com o mesmo indicador de maneira independente. O Data Mesh, portanto, é bastante seguro.

Colaboração intensa

Outro grande benefício do Data Mesh é para a cultura e a identidade da empresa. Com o fim das barreiras de informação, departamentos são encorajados naturalmente a colaborar. Diminui-se o espaço entre decisões e ações, tornando sua empresa integrada com o que o mercado exige atualmente.

As 5 tendências de Data Mesh para empresas

Além das vantagens que o Data Mesh pode trazer para um negócio, que tal analisarmos como essa arquitetura tem sido utilizada para ir além de seus resultados diretos? Veja tendências potencializadas por ela!

1. Operação multidisciplinar

A era das empresas de departamentos engessados acabou. Com o foco no cliente e nas experiências de consumo, todos os times precisam trabalhar em conjunto para oferecer produtos e serviços que se relacionam com todas as expectativas do público.

Nesse sentido, o Data Mesh ajuda a integrar departamentos com a decentralização dos dados. Quanto mais troca há entre eles, mais criativa e inovadora se torna a operação.

2. Internet das Coisas

A IoT é uma das grandes tendências emergentes no mundo corporativo. O uso de dispositivos independentes e autônomos para monitoramento e geração de dados começou na indústria e, agora, se insere em todos os setores de mercado.

Essa grande quantidade de informações ricas cai como uma luva dentro da malha de dados. Como se tornassem seu próprio departamento, os sensores e wearables contribuem para insights ainda mais precisos e transformadores sobre a operação da empresa.

3. Experiência do cliente

Um dos motivos para o Data Mesh estar se popularizando tanto é a demanda cada vez maior por experiências incríveis de consumo. Com parâmetros seguros e condizentes com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), você pode alimentar essa malha com as informações de público e ganhar em escalabilidade e profundidade. Ou seja, criar experiências que alcançam mais pessoas e, ao mesmo tempo, se moldam às suas preferências individuais.

4. Atuação em nichos

Muitas empresas estão trocando o alcance generalista pelo engajamento de nichos. É uma tendência que deve continuar crescendo com a descentralização de canais de comunicação e socialização na internet.

Aqui, o Data Mesh funciona como uma rede de dados contextualizados que podem ser utilizados por diversos departamentos para identificar novas oportunidades.

5. Machine Learning

O Machine Learning se tornou uma grande ferramenta corporativa: inteligências artificiais capazes de aprender, identificar e relatar pontos de evolução e transformação dentro das empresas, internamente e na entrega ao público.

O Data Mesh dá mais liberdade e profundidade para essa tecnologia. Sem obstáculos entre departamentos, todos podem utilizar a ferramenta como forma de segmentar diferentes informações e encontrar respostas diretas para perguntas bastante específicas — em um ajuste fino em relação ao mercado.

Esse é, inclusive, o grande motivador do investimento em soluções de dados atualmente. Ter acesso rápido e universal à informação cria empresas eficientes e dinâmicas, que identificam oportunidades e as agarram muito antes das concorrentes.

Investir em Data Mesh é uma grande estratégia. Com uma plataforma adequada e segura e com uma cultura digital para seus times, essa pode ser a chance que você buscava para aumentar a competitividade.

Que tal entender mais sobre como utilizar dados como ferramenta estratégica? Veja como implementar Data Ops com Microsoft Power BI!

Cultura data-driven
Você também pode gostar

Deixe um comentário

2 × 1 =