Quais são as certificações Scrum mais valorizadas no mercado?

certificacoes scrum
6 minutos para ler

O Scrum é, sobretudo, uma metodologia que simplifica fluxos complexos de trabalho, diminuindo o tempo necessário para realizá-los e a quantidade de recursos demandados para concluí-los. Se você quer saber mais sobre esse framework, existem várias certificações Scrum disponíveis, algumas delas mais valorizadas no mercado do que outras.

Para você dar os seus primeiros passos nessa jornada de certificação de uma maneira mais certeira, queremos sugerir algumas boas alternativas. Então, convidamos você a entender sobre a metodologia, como ela contribui para a eficiência da gestão de projetos e, finalmente, quais certificações são mais apropriadas.

Gostou da ideia? Então, aproveite a leitura!

O que é o Scrum e como funciona?

Como você já viu, o Scrum é um método de simplificação da gestão de projetos. Funciona principalmente com aqueles mais complexos em que não se conhece todas as reais necessidades que serão enfrentadas adiante – como os projetos de Transformação Digital que têm especificidades para cada empresa. Essa metodologia consiste em centralizar os processos nos membros da equipe e registrar todas as etapas executadas, a fim de que cada um tenha total clareza do andamento dos objetivos.

O Scrum faz parte de um escopo de ferramentas ágeis, que visam acelerar a execução de projetos, sem prescindir ou arriscar a sua qualidade final. Portanto, a execução acontece sempre em ciclos mais curtos e rápidos, que chegam a, no máximo, quatro semanas de duração.

O Scrum está baseado em seis princípios, que incluem a flexibilidade de resultados e de prazos, a composição de times pequenos de trabalho, a revisão constante de objetivos, a colaboração entre todos e a orientação para objetos. Com isso, são alcançados resultados como a maior produtividade do time e o máximo aproveitamento do tempo.

O seu funcionamento não é complicado. As equipes trabalham em ciclos compostos por uma etapa de produção e outra de avaliação, sempre buscando a versão mais simples de um produto final. Assim, chega-se ao Minimum Viable Product (MVP), enviado para o cliente para coletar seus feedbacks.

Então, esse resultado é construído a partir de etapas:

  1. a primeira é uma reunião de planejamento junto ao cliente, o Product Owner;
  2. a segunda é a definição de tarefas, responsáveis, prazos e métodos, resultando no Product Backlog;
  3. a terceira é a realização do Sprint propriamente dito, em que cada membro do time cumpre sua função; e
  4. a última etapa é o Sprint Review Meeting, uma reunião de revisão e entrega.

A equipe ainda conta com duas ferramentas de controle durante o processo:

  • o Daily Scrum — pequenas reuniões feitas diariamente para acompanhar o estado do projeto;
  • e o Sprint Burndown — projeção gráfica do progresso das tarefas do projeto.

Quais são as principais certificações Scrum?

A aplicação do Agile tem se tornado cada vez mais relevante nos ambientes empresariais. Diante disso, o Scrum ajuda a dinamizar a execução de projetos, encurtando seu tempo de conclusão e permitindo que vários ajustes sejam feitos de acordo com as avaliações fornecidas pelo cliente.

Mas tudo isso precisa respeitar um método e, para aprendê-lo, existem diferentes certificações Scrum. Que tal conhecer algumas das que julgamos mais relevantes para o mercado atual? Acompanhe!

Professional Scrum Master (PSM I)

A Professional Scrum Master (PSM) é uma certificação dividida em duas versões: a de nível intermediário (PSM I) e a de nível avançado (PSM II). Elas foram desenvolvidas pela Scrum.ORG, depois que um dos criadores da principal aliança de Scrum discordar do caminho que a empresa estava assumindo e criar uma fundação independente do grupo.

Hoje, a PSM I está entre as certificações mais bem reconhecidas para profissionais que trabalham com Scrum e métodos ágeis, de modo geral. Além disso, ela é considerada bastante acessível, já que não precisa ser realizada presencialmente e tem um custo de US$ 150,00. Ela também não necessita ser renovada.

Sua prova é bem criteriosa e exige que o profissional demonstre domínio sobre o método, do contrário, ele não é aprovado. Essa forma de avaliação é o que dá à certificação uma credibilidade tão grande. A certificação é concedida aos talentos que concluírem em até 60 minutos uma prova com 80 questões e obtiverem uma média de acertos igual ou superior a 85%.

Agile Scrum Foundation — EXIN

A EXIN lançou suas próprias certificações relacionadas às metodologias ágeis e, delas, resultou a Agile Scrum Foundation. Gradualmente, essa avaliação também ganha a confiança de muitas empresas, ascendendo na curva de valorização do mercado.

Essa é considerada uma certificação relevante para quem está iniciando no gerenciamento ágil. Ela traz, inclusive, uma gama maior de práticas ágeis do que outras certificações, porém, sua prova é considerada bem mais fácil do que outras alternativas, como a própria PSM I.

A EXIN ainda disponibiliza outras formações e certificações para quem quiser participar do seu programa, incluindo Agile Scrum Master (ASM) e Agile Product Owner.

PMI Agile Certified Practitioner — PMI

O Agile Practitioner Professional (PMI-ACP) é um dos exames mais longos e massivos em relação à certificação Scrum. Ele aborda uma extensa quantidade de conteúdos, um curso com mais de 21 horas, além de experiência prévia com metodologias ágeis.

Mas não é qualquer experiência. Você precisará de 2.000 horas de experiência com equipes de projetos, em geral, e 1.500 horas com equipes ágeis. Portanto, essa não é uma certificação recomendada para quem está iniciando no gerenciamento ágil.

Por outro lado, o PMI-ACP é altamente recomendado para quem já atua com esse tipo de projetos e quer complementar o seu conhecimento.

Como escolher suas certificações Scrum?

Escolher a sua certificação pode não ser uma tarefa fácil. Então, será preciso considerar qual delas tem mais a contribuir para esse momento da sua carreira. Sendo assim, é importante avaliar:

  • O reconhecimento de mercado da empresa que está fornecendo o certificado;
  • As habilidades pelas quais você receberá a certificação ao final da avaliação;
  • A credibilidade da formação e a autoridade na área;
  • O valor que será investido na certificação, nos eventuais deslocamentos e nas renovações;
  • O grau de dificuldade da avaliação;
  • Os pré-requisitos existentes para a certificação.

Com base nisso, ficará fácil entender qual é a melhor alternativa, não apenas para a sua carreira e empresa, mas para o seu momento atual. Apesar de visar em uma certificação altamente reconhecida e valorizada, por exemplo, pode ser interessante começar com uma mais acessível e ganhar experiência antes de dar os próximos passos.

Gostou do que viu por aqui? Então, está na hora de aprofundar os seus conhecimentos sobre Gestão Ágil de Projetos!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

14 − 10 =