Por que vale a pena ser uma empresa analítica?

empresa analítica
8 minutos para ler
DATA MESH

Você já notou como Transformação Digital, Big Data e Business Intelligence estão presentes na maioria das discussões de gestão empresarial atualmente? Essa tendência não é por acaso, veja neste post as vantagens de tornar sua empresa em uma empresa analítica.

Com o avanço da tecnologia e o que ela nos possibilita, os últimos anos vêm sendo marcados pela evolução constante do uso de dados na produtividade e na tomada de decisões em negócios. É a necessidade de investir em uma empresa analítica.

Mas o que esse termo significa exatamente? Por que você deve focar esforços em tornar sua gestão mais Data-Driven, ou seja, orientada a dados? Neste artigo, vamos conversar um pouco mais sobre o assunto e analisar as principais questões que ele apresenta. Acompanhe!

O que é uma empresa analítica?

A análise de dados sempre foi uma rotina para qualquer negócio desde que o comércio e a indústria existem. Para ter sucesso, uma empresa precisa conhecer suas capacidades, seus resultados, o público e o mercado a sua volta. Se isso sempre foi lugar-comum no mundo empresarial, por que falamos tanto sobre uso de dados estrategicamente nos últimos anos?

A resposta está na capacidade que temos hoje para fazer isso. Com o refinamento de soluções de automação na coleta e na análise de dados, um gestor tem à sua disposição um volume de informação que seria impensável há menos de um século.

Além disso, conta também com as ferramentas necessárias para escrutinar, comparar e minerar dados de uma maneira muito mais profunda do que é possível por métodos tradicionais.

Essa possibilidade abriu uma porta para um tipo de negócio que não se baseia em dados apenas para checar número de vendas ou fluxo de caixa, mas para encontrar insights e tendências, investigar caminhos e fazer ajustes mais rápidos e finos às demandas de mercado. É o que chamamos de empresa analítica.

Quais as características de uma empresa analítica?

Criar uma cultura de análise de dados dentro da empresa não parte de uma receita pronta. Não é uma ferramenta específica que se pode adquirir nem um plano pré-definido para seguir.

A palavra-chave aqui é cultura. Criar uma conduta analítica no negócio faz com que essa abordagem se torne parte da rotina e da forma como todos os colaboradores pensam seu trabalho e suas funções. Veja como se parece uma empresa analítica quando esse patamar é alcançado.

Gestão baseada em dados

A empresa Data-Driven deixa de lado os chutes. A visão romântica do gestor que trabalha no feeling pode ser tentadora, mas, nos dias de hoje, toda decisão tomada precisa ser corroborada por informações que demonstrem que aquele é o melhor caminho. Boas escolhas trazem agilidade e consolidação de mercado.

Cultura de inovação

Não basta coletar dados: a empresa analítica está sempre olhando para eles em um ângulo que mira o futuro. A constante busca por inovação é o que traz eficiência produtiva e soluções cada vez mais inteligentes para alcançar os resultados esperados.

Dedicação aos estudos

O gestor C-level da empresa analítica é uma pessoa disposta a mergulhar o mais fundo possível em seus estudos de dados. Com apoio de tecnologia e de metodologias apropriadas, tem o papel de submergir em relatórios e segmentações para encontrar conexões inovadoras entre demandas e caminhos para atendê-las — um trabalho constante e significativo.

Conexão prática entre tecnologia e resultados

A empresa analítica também possui profissionais capazes não só de encontrar esses caminhos inovadores, mas de construir o veículo capaz de trilhá-los da maneira mais eficiente possível.

Por isso, os gestores têm muito mais capacidade de conectar estratégias com ferramentas e soluções tecnológicas que as coloquem em prática. É um trabalho de conceituação seguido de execução — sem cortar caminhos e sem tentar enganar o público.

Pluralidade de pensamento

Com tanta informação à disposição, a empresa analítica é capaz de descentralizar a tomada de decisões e permitir que vários perfis de colaboradores participem desse processo. Com a pluralidade de backgrounds e especializações, os insights provenientes dos dados se tornam mais criativos e inovadores, permitindo a união de conceitos em novas abordagens de negócio.

CTA animado Cloud

Quais são as vantagens de ser uma empresa analítica?

Passando pelos chavões e discussões vazias, o que diferencia a análise de dados do futuro de outras tendências vaporware é o impacto real em resultados de negócios vindos da união completa entre dados e tecnologia. Veja os benefícios reais presentes de investir na cultura analítica.

Mais visão de mercado

Com acesso significativo a Big Data, gestores possuem uma visão muito maior de aspectos empresariais e do posicionamento do negócio no mercado. A análise de dados é uma forma de ir mais fundo no relacionamento com clientes, entendendo demandas e expectativas antes mesmo que elas as formem por completo.

Mais produtividade

O Big Data não traz apenas insights estratégicos, mas práticos de ajustes na operação e na gestão produtiva. Com ele, é possível encontrar novas ferramentas e processos que se adequem melhor às necessidades de produção, dando mais liberdade, flexibilidade e inteligência para os colaboradores.

Mais agilidade na adesão a tendências

Se você tem uma fonte mais robusta de informação para encontrar novos nichos e tendências, na prática há um atalho para abordar essas oportunidades antes dos concorrentes. Aliando a gestão de dados a soluções tecnológicas, você conta com o ambiente perfeito para competir na ponta do mercado.

Mais previsibilidade

Antecipar tendências faz parte de uma visão que não é apenas horizontal do cenário ao seu redor, mas também vertical no estudo e na análise de caminhos projetados.

A previsibilidade estratégica permite planejar investimentos e planos de ação com um timing perfeito de mercado. É uma oportunidade para criar produtos e ter iteração dos atuais com a segurança de que seus objetivos serão atingidos por eles.

Imagem inovadora para a marca

Uma empresa que produz de maneira mais eficiente, planeja com base em insights mais variados e sabe antecipar tendências se posiciona no mercado como uma trendsetter.

Essa imagem é muito importante para as expectativas e os hábitos do consumidor do futuro, pois reflete tanto nas decisões de compra do público final quanto no B2B. As próprias empresas de tecnologia, como Apple e Google, demonstram que a aura de inovação já é suficiente para se criar uma percepção positiva da marca, ajudando ainda mais no seu crescimento.

Como treinar colaboradores?

Quando falamos em cultura de análise de dados, nos referimos a algo que abraça a empresa por completo. Está nas questões técnicas e estratégicas, mas também na comunicação, no comportamento na interação entre colaboradores.

Por isso, o treinamento de profissionais em uma empresa analítica começa no uso técnico de ferramentas de dados, mas vai muito além disso. O seu foco deve ser em colaboração multidisciplinar, descentralização da tomada de decisões e incentivo à participação de todos nesses processos analíticos.

Uma boa ideia para acelerar esse processo seria contar com uma equipe especializada que tenha esse perfil e que troque experiências com seu time interno — como é o caso dos Squads BRQ.

Como a tecnologia apoia ações analíticas?

Para terminar essa reflexão, temos que reforçar que não existe análise de dados eficiente sem investimento em tecnologia. Afinal, foi exatamente ela que permitiu o nível de sofisticação que temos hoje em uma gestão Data-Driven.

Portanto, é um passo crucial encontrar as soluções no mercado que fundamentem essa nova cultura na empresa. Uma busca que vai desde a infraestrutura inicial até as ferramentas capazes de automatizar processos de coleta, análise e visualização.

Se você tem as soluções certas, a equipe bem preparada e uma cultura de inovação baseada em dados implementada na sua rotina, o sucesso da sua empresa analítica é uma questão de tempo (provavelmente pouco).

E aí, gostou da nossa conversa? Se quiser continuar essa discussão tão importante, compartilhe o texto nas suas redes sociais!

Cultura data-driven
Você também pode gostar

Deixe um comentário

3 − um =