Planejamento estratégico de TI: 8 passos para criação assertiva

Planejamento estratégico de TI
7 minutos para ler

A Tecnologia da Informação é um assunto primordial e, inclusive, relacionado às decisões mais importantes de um empreendimento hoje. Justamente por isso, é fundamental se preparar para fazer um bom planejamento estratégico de TI.

Essa medida ajudará você e a sua empresa a aproveitarem as melhores oportunidades do mercado. Além disso, é possível atualizar e otimizar processos, melhorar performance e desempenho e economizar recursos, tornando o negócio mais competitivo.

Quer saber como conquistar tudo isso? Então, continue a leitura deste artigo.

O que é o planejamento estratégico de TI?

O planejamento estratégico de TI é o que orienta a prestação de serviços na área da tecnologia. É a partir dele que são definidas as prioridades de um setor ou empresa, incluindo os seus investimentos, processos, ferramentas e até a qualificação de pessoas.

Todo esse conjunto de ferramentas e soluções age para proporcionar melhores resultados para o negócio, seja otimizando os seus custos ou aproveitando melhor as oportunidades que surgem. Quando uma empresa tem condições internas de responder rapidamente às demandas de mercado, por exemplo, ela ganha muito em competitividade. E é a tecnologia ajuda a proporcionar essa agilidade.

Com mais rapidez e precisão nas decisões e iniciativas, os clientes também percebem muito mais valor nas entregas, o que é muito importante para o negócio. Então, a tecnologia, quando usada de maneira estratégica, pode reforçar e impulsionar o posicionamento estratégico de toda a marca.

Como fazer um planejamento estratégico de TI?

Para desenvolver essa estratégia de forma abrangente e, ao mesmo tempo, alinhada aos objetivos do negócio, você terá que atender a alguns requisitos. Fique por dentro de cada um deles a seguir!

1. Faça uma análise do ambiente

O primeiro passo é analisar o ambiente empresarial e entender como o seu fluxo de processos, dentro e fora da TI, está estruturado. Para tanto, é crucial se fazer as perguntas certas. Para ajudar na sua checklist, aqui vão algumas sugestões:

  • Qual é a capacidade total do setor de TI hoje?
  • Quais são as principais vulnerabilidades do setor e da empresa, considerando a tecnologia e os processos?
  • Quais são os índices de satisfação de usuários internos e de clientes sobre os processos de TI?
  • Qual é o nível de qualificação do time de Tecnologia da Informação da empresa?
  • Como está a motivação desses colaboradores?
  • Quais são os objetivos estratégicos do negócio que podem ser otimizados pela TI?
  • Quais tecnologias podem ser incorporadas para beneficiar o dia a dia do negócio?

2. Elabore um desenho de todos os processos

O passo seguinte é elaborar uma primeira versão do plano que será seguido para estruturar uma TI mais estratégica. Então, quanto mais clareza, melhor. É possível usar um modelo já existente ou desenhar os processos do zero.

Crie uma relação entre todas as demandas que o setor de TI recebe e o percurso que elas fazem no setor até sair efetivamente em forma de uma solução. Depois, organize as etapas, atribuindo os responsáveis por cada uma delas.

Em seguida, você pode trabalhar em conjunto com essas pessoas, fazendo um brainstorming do que pode ser melhorado. Escolha as melhores ideias e descubra o que é preciso para implementá-las, desde infraestrutura até treinamentos.

3. Torne o plano de TI realmente estratégico

Agora, você precisa avaliar, entre as opções disponíveis, quais esforços seriam mais estratégicos para a empresa hoje. Isso é o que ajudará a definir uma ordem de prioridade e levantar todos os recursos necessários, como valores e pessoal qualificado.

Sugerimos uma análise de impacto para cada melhoria pautada pelo seu time. Então, você pegará uma a uma, elencando quais seriam os setores afetados por essa mudança, além de indicar o potencial de ganho de desempenho.

Se uma das suas alternativas otimizará apenas o setor de TI, por exemplo, enquanto outra afetará ainda o RH, a contabilidade e o setor de inovações, talvez seja melhor começar pela segunda. Tenha sempre em mente que uma mudança bem-sucedida cria melhores condições para implementar outra, e assim sucessivamente.

4. Crie estratégias rapidamente

Nossa próxima dica é: seja ágil ao implementar mudanças. Você não precisa de um plano perfeito para colocar em prática, só de agilidade para executá-lo e aparar arestas pelo caminho. Então, se o potencial para dar certo for grande, apenas faça.

É aquela velha história do “feito é melhor que perfeito”. Quando se trata de tecnologia, a gestão ágil de projetos é tudo. Então, em vez de ficar meses trabalhando em um projeto que demandará algum ajuste, já implemente por partes e corrija tudo o que não funciona como o esperado.

5. Defina métricas para monitorar

Não se esqueça de monitorar o seu desempenho. Para isso, você precisa saber o que é mais importante medir, seja o número de projetos, sejam melhorias implementadas com sucesso ou o índice de satisfação dos usuários internos. Mas esse monitoramento precisa fazer sentido para a estratégia do negócio.

Se você quer garantir a felicidade corporativa, por exemplo, as melhorias implementadas pela TI precisam ser pensadas para aumentar a produtividade e satisfação dos times. Mas se deseja melhorar sua competitividade, talvez seja melhor alinhar as alterações com uma cultura de inovação.

6. Conecte os planos de TI à visão corporativa

Um planejamento estratégico de TI bem elaborado está sempre muito bem alinhado à visão corporativa do negócio. Isso porque as soluções criadas por esse setor devem ser capazes de alavancar os resultados e dar suporte ao processo de tomada de decisão da diretoria.

Dessa forma, a tecnologia deve ser incorporada como um item indispensável na estratégia do negócio, seja para ajudar a mensurar resultados, aumentar a agilidade no processamento de informações ou mesmo otimizar custos. Para isso, um recurso de nuvem distribuída pode ser interessante.

7. Foque no médio prazo

O planejamento de longo prazo é muito importante para a estratégia do negócio, mas para a TI é preciso pensar a médio e a curto prazos, já que as mudanças acontecem em velocidade acelerada. Como as inovações tecnológicas estão sempre surgindo, é preciso se preparar para acompanhá-las.

Logo, é importante que a gestão de TI seja bastante flexível, adaptando-se às novas demandas e atentando às tendências. Portanto, ao elaborar um plano estratégico de TI, considere um prazo entre 12 e, no máximo, 18 meses. Depois, revise tudo e trabalhe em sua continuidade.

8. Aborde os principais componentes

Não se esqueça de considerar todos os componentes relevantes para o negócio, como suas equipes, as parcerias estratégias, os fornecedores de produtos e serviços, o modelo de gestão e a formação da diretoria. A TI deve ser o setor capaz de integrar todos os aspectos da organização, agilizar sua operação e tornar a empresa mais eficiente.

Quais são os benefícios de investir nesse planejamento?

Quer saber por que você deveria dedicar os seus esforços em um planejamento estratégico de TI? Porque ele:

  • Ajuda a reduzir os custos operacionais da TI e de outros setores;
  • Melhora a segurança da informação contra o ataque de cibercriminosos;
  • Promove a melhoria e a maior eficiência dos processos internos;
  • Otimiza o tempo do setor de TI e de toda a empresa.

Como você percebeu, o planejamento estratégico de TI é crucial para o bom funcionamento de qualquer negócio que queira se manter competitivo. Além disso, ele facilita muito a incorporação de inovações importantes, que possivelmente seriam impensáveis se a TI fosse desconectada da gestão empresarial.

Viu como o plano de TI deve ser bem pensado e estruturado? Agora, se você quer expandir ainda mais os seus conhecimentos, confira as 8 vantagens da Cloud Computing em tempos de crise!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

dez − 1 =