As 11 principais soft skills para profissionais tech

soft skills
6 minutos para ler
DATA MESH

Ter uma equipe tech eficiente e produtiva é um dos principais objetivos de empresas que desejam crescimento no mercado. O alinhamento de ideias com as regras de negócio eleva a atuação do profissional em busca da melhor solução ao usuário final do produto. O desafio dessa prática é encontrar pessoas qualificadas não apenas nas técnicas.

É certo que as metodologias são desenvolvidas com cursos de graduação ou livres ao longo da carreira. Contudo, há as soft skills, habilidades comportamentais que nem sempre são tratadas como prioridade por profissionais tech, embora façam a diferença em sua atuação. Com isso, o mercado se vê diante do seguinte cenário: 80% dos desligamentos se devem à falta desse quesito.

Equipes que trabalham essas competências são mais comunicativas, resolvem problemas com maior facilidade e aumentam a produtividade. Para se ter noção da importância das soft skills, até mesmo o Fórum Econômico Mundial se debruça sobre estudos nessa área. No fim das contas, são elas que diferenciam profissionais e colaboram para a inovação nas empresas.

Uma boa maneira de se adaptar à Transformação Digital e incentivar essa preocupação na empresa é investir no desenvolvimento de soft skills para profissionais tech. Conheça as principais!

1. Mentalidade de crescimento

O reforço constante à Transformação Digital em uma empresa depende bastante da mentalidade de crescimento de profissionais –– seja qual for sua posição na hierarquia do negócio. Essa habilidade não permite que os especialistas fiquem em sua zona de conforto, impulsionando-os a entregar sempre mais e melhor.

2. Trabalho em equipe

Encontrar as melhores soluções aos clientes sem aumentar o investimento da empresa é uma prática que não existe sem times de alta performance alinhados e produtivos. Embora muitas das atividades sejam individualizadas, elas geram impedimentos a tarefas de outras pessoas, impactando o resultado do trabalho.

Há valor também nas cocriações, que contam com conhecimentos de diferentes profissionais, internos e externos. É preciso saber negociar, aceitar a decisão da maioria e conviver harmoniosamente com ideias distintas das suas. A cultura colaborativa tem grande potencial de sucesso para as empresas.

3. Escuta ativa

Ainda nessa linha do trabalho em equipe, saber ouvir é uma qualidade essencial aos profissionais tech. A escuta ativa é aquela que se alia ao foco e à empatia para compreender, de fato, o que o outro está falando. Esse é o caminho para encontrar gargalos na produção, alinhar entregas de valor aos clientes e sugerir demandas à liderança.

4. Comunicação

Além de saber ouvir, é preciso intensificar a comunicação. No mercado tech, essa soft skill é essencial –– tanto é que existem ritos (como as reuniões de Gerenciamento Diário) com base nela para manter o alinhamento das equipes e o ritmo das entregas de valor.

Vale comunicar possíveis dificuldades, pedir conselhos a colegas, compartilhar conhecimentos e assim por diante. O crescimento de um profissional se reflete no desenvolvimento de todo o time com essa habilidade.

5. Pensamento analítico

Para contribuir com inovação para as soluções da empresa, desenvolver um pensamento analítico deve ser prioridade para os profissionais tech. É assim que se identificam novas tecnologias para resolver gaps de produção sem que essa adoção seja somente por vaidade.

Nas tarefas cotidianas, o uso da lógica e do raciocínio é imprescindível para resolver problemas de alta complexidade e em diversas tomadas de decisão.

CTA animado Cloud

6. Proatividade

Profissionais que esperam ordens ou direcionamentos o tempo todo apresentam pouco valor à empresa. É preciso ter a mentalidade de crescimento, como visto, para alcançar as melhores entregas, algo que está diretamente relacionado à proatividade.

Um profissional proativo aprimora a própria atuação constantemente, identifica seus talentos para contribuir para o desempenho do time e se antecipa a potenciais desafios. Também está atento às tendências de mercado e se adapta de maneira mais fácil às mudanças.

7. Tomada de decisão

Equipes de tecnologia auxiliam com dados para tomadas de decisão. Mas não são somente os gestores que precisam ser firmes e escolher um caminho durante a sua atuação. A cada tarefa, o profissional deve decidir as melhores soluções com a confiança e o conhecimento necessários sem ferir as regras de negócio ou a qualidade do trabalho da equipe.

8. Criatividade

Há momentos da atuação de um profissional tech em que as soluções parecem distantes de seu conhecimento técnico. Por mais que pesquise e troque ideias com os colegas, há esse impasse de produção. É nessa hora que a criatividade faz a diferença –– afinal, em algum momento, as resoluções precisam ser criadas.

9. Resiliência

Essa é quase uma obrigação diante da Transformação Digital. Com processos em constante evolução e a inovação sendo aplicada ao negócio, escopos de trabalho podem mudar de um dia para o outro. Da mesma forma, linguagens, versões de ferramentas, sistemas operacionais, entre outros elementos, se alteram de acordo com as necessidades dos clientes.

É preciso se adaptar rapidamente e transferir seus talentos à nova solução, superando quaisquer obstáculos. Essa prática colabora para a produtividade e os bons resultados dentro da empresa. Com a mentalidade de visualizar oportunidades em vez de problemas, o profissional vai longe em sua carreira.

10. Liderança

A liderança não necessariamente reflete o cargo do profissional. Mesmo que em início de carreira, uma pessoa pode ser exemplo a seus colegas de trabalho. Essa soft skill é capaz de inspirar e transformar a atuação de uma equipe, que ganha mais produtividade e motivação.

Já os gestores devem aprimorar sua liderança constantemente, tornando-a inspiradora para extrair o melhor de suas equipes. A microgerência é um obstáculo à autonomia dos profissionais, que a utilizam como ferramenta para o reforço de outras habilidades –– é o caso da tomada de decisão.

11. Gerenciamento de tempo

Por fim, para cumprir as demandas e não gerar impedimentos nas sprints, gerenciar o tempo é fundamental. Muitas empresas adotam o Ágil para organizar os fluxos de produção, em que são atribuídas determinadas horas para cada tarefa.

Os profissionais tech precisam dessa noção tanto para direcionar o tempo necessário para cada atividade quanto para fazer a entrega de fato. Ter em mente que as soluções devem passar por testes e validações de qualidade contribui para o desenvolvimento dessa habilidade.

As soft skills devem andar lado a lado ao aprendizado contínuo de técnicas de tecnologia para inovar em soluções. De líderes a equipes tech, essas habilidades só agregam valor à atuação profissional e, consequentemente, aos produtos ou serviços do negócio. Para começar a desenvolvê-las, o incentivo à comunicação e aos feedbacks é essencial.

As informações deste conteúdo contribuíram com bons insights para sua empresa ou carreira? Aproveite e assine a newsletter da BRQ para receber outras sugestões e boas práticas do mercado tech em primeira mão!

Cultura data-driven
Você também pode gostar

Deixe um comentário

19 − quatro =