Indústria 4.0: tudo que você precisa saber sobre a nova revolução

indústria 4.0
17 minutos para ler

Todo profissional C-Level do setor de tecnologia já deve ter ouvido falar nos últimos anos de Indústria 4.0. O termo está nas discussões de mercado, na busca por novas estratégias de eficiência produtiva, na evolução digital e nas soluções tecnológicas mais inovadoras.

Mas o que ela realmente significa? Por que seu poder transformador está trazendo tanto valor para gestores que sabem implementar tecnologia em aplicações práticas de cadeias industriais? Neste artigo completo, vamos destrinchar tudo o que faz da Indústria 4.0 uma vantagem competitiva atual e uma necessidade de sobrevivência no futuro. Venha conosco e boa leitura!

O que é a Indústria 4.0?

Esse é o termo que o mercado vem utilizando para determinar o que seria uma 4ª Revolução Industrial, baseada em autonomia e inteligência das máquinas, além da simples automatização.

É uma definição simples, mas podemos analisar todo o caminho até aqui para entender seu poder transformador. Como essas revoluções mudaram paradigmas e expandiram a capacidade produtiva da humanidade?

Primeira Revolução Industrial

Aconteceu com a própria criação da indústria ainda no fim do século XVIII. Foi quando a tecnologia se desenvolveu a um ponto de ser possível criar máquinas para realizar o trabalho humano de maneira segmentada e padronizada.

Assim, pela primeira vez a produção de bens de consumo não era apenas manual e artesanal. Havia uma cadeia produtiva e começaram a surgir profissionais dedicados não à criação do produto, mas ao funcionamento desses mecanismos.

Segunda Revolução Industrial

Já no século XIX, a mudança de paradigma ocorreu principalmente na força motriz desses equipamentos industriais. A segunda Revolução veio com a aplicação de combustíveis como o vapor (carvão) e, já no século XX, o petróleo.

Além de máquinas para produzir, agora podíamos dar a elas muito mais poder e autonomia de funcionamento sem aplicar tração humana, animal ou hidráulica — o que expandiu ainda mais nossa capacidade de produção.

Terceira Revolução Industrial

Depois dos combustíveis, a próxima Revolução veio com a digitalização das máquinas. A evolução da informática, permitiu miniaturizar componentes e automatizar seu funcionamento, diminuindo ainda mais a necessidade de esforço humano na rotina industrial.

Principalmente a partir da década de 1970, fez com que as empresas passassem a ter estruturas fisicamente menores e mesmo assim aumentassem exponencialmente sua produção — de forma que seria impossível da metade do século XX para trás.

Quarta Revolução Industrial

O que pode ser tão transformador como a criação de máquinas, o desenvolvimento de combustíveis eficientes e a miniaturização da cadeia produtiva?

A quarta Revolução foi para um caminho diferente e, por isso, ganhou esse nome sugestivo de Indústria 4.0. Em vez de ampliar a capacidade física de produção, o que a tecnologia traz atualmente é uma possibilidade de libertar as máquinas da necessidade de controle humano.

É uma proposta de inteligência e eficiência que converge todo o desenvolvimento industrial dos últimos 300 anos em uma nova realidade operacional e administrativa. Vamos ainda muito mais a fundo no que isso significa.

Quais são as características dessa Revolução?

A Indústria 4.0 é sobre autonomia e inteligência das máquinas, mas o mais importante é entender o que isso significa na prática. Ou seja, como se parece uma indústria que já está inserida nessa nova Revolução.

Para chegar ao ponto atual, a peça-chave é a capacidade de coletar, armazenar e utilizar dados dentro de um sistema industrial integrado. O desenvolvimento tecnológico para grandes volumes de informação é o que inicia essa mudança.

Portanto, começamos por aqui: os negócios nesse cenário apostam em Transformação Digital e investem em sistemas de gestão empresariais (ERPs) que centralizam o uso de dados.

Dessa forma, todos os aspectos gerenciais e operacionais estão disponíveis de maneira rápida e confiável tanto para os gestores como todos os colaboradores proporcionalmente às suas responsabilidades.

Essa é a realidade de diversas empresas em quase todos os setores do mercado. Mas isso não é tudo para as indústrias. O que mais importa nessa nova Revolução é que as máquinas também participem desse processo.

Na Indústria 4.0, equipamentos de produção e dispositivos de controle possuem seus próprios processadores e canais de comunicação digital em rede.

Assim, eles aprendem com a coleta de dados, enviam ordens entre si de acordo com a situação que se apresente, ajustam o próprio funcionamento para atividades mais eficientes e muito mais. Tudo isso com o mínimo de interferência humana.

Falaremos mais sobre essas tecnologias em breve. Porém, é interessante já ressaltar que esse investimento é sempre o primeiro passo para iniciar na jornada digital, que traz muito retorno.

Por que é importante se adequar à Indústria 4.0?

É impossível fazer parte dessa nova Revolução Industrial sem investimento em tecnologia. É por meio dela que você conseguirá os dispositivos adequados, as máquinas mais inteligentes e as plataformas de gestão necessárias.

Mas se isso levanta algum tipo de preocupação na sua cabeça, este capítulo é para incentivar toda a diretoria da empresa a olhar para o que ela ganha em retorno ao investir em Indústria 4.0. Veja os maiores benefícios dessa transformação.

Eficiência

Um dos grandes trunfos da Indústria 4.0 é como todas as soluções e os dispositivos trabalham em conjunto para uma busca constante por mais eficiência produtiva.

O que vemos no setor industrial é uma série de negócios produzindo mais com estruturas de tamanho similares às que tinham antes utilizando essa inteligência extra para redesenhar processos e consumir menos recursos.

Maior eficiência significa padrão na qualidade do produto ao mesmo tempo em que se produz mais — uma fórmula perfeita para aumentar a lucratividade.

Agilidade

Em uma realidade em que a informação é constante, abundante e precisa, gestores de indústria têm muito mais facilidade de identificar problemas e corrigi-los, além de desenhar e colocar em prática estratégias de aprimoramento produtivo.

Ou seja, a Indústria 4.0 é ágil, algo que será fundamental para a competitividade nos próximos anos. Ela será aplicada no aumento da produção, na capacidade de ajustar produtos a novas demandas de mercado e até na busca por experiências de consumo inovadoras. Nesse sentido, a agilidade corporativa está diretamente ligada à percepção da marca no mercado.

Economia

Uma empresa ágil, eficiente e inteligente se torna naturalmente econômica. Isso acontece pela união de sistemas de informação especializados com máquinas capazes de tomar decisões por conta própria e ajustar seu funcionamento ao nível mais otimizado de produção possível.

É aqui que, mais uma vez, o investimento em tecnologia se paga e vai muito além do que o negócio gasta. Imagine ter a mesma produtividade atual, porém gastando menos tempo, energia e desperdiçando menos insumos e matéria-prima.

Essa economia pode ser usada tanto para aumentar as margens de lucro quanto a produção ou para investir em novos equipamentos de Indústria 4.0.

Inovação

Inovação na Indústria 4.0 é, ao mesmo tempo, uma necessidade e uma oportunidade. Pense na quantidade de dados que um negócio pode armazenar e analisar atualmente: de produção, de gestão, de mercado, de competidores, de público.

Com a interação entre tantas fontes diferentes de informação, o profissional C-level atento identifica formas de inovar em todos os pontos da cadeia, desde a elaboração de produtos até a entrega.

No entanto, se a inovação está mais acessível, isso significa que tem mais gente fazendo igual. Por isso, é importante pensar sempre em iteração e revolução para não perder o embalo competitivo da empresa.

Sustentabilidade

Esse é um assunto cada vez mais importante dentro da indústria. Principalmente pela manutenção das nossas condições de vida no mundo, claro, mas também pela busca por eficiência produtiva atrelada ao conceito.

É por isso que existe um termo hoje muito associado à Indústria 4.0: Environmental, Social and Governance (ESG). É um conjunto de ações que une a responsabilidade ambiental e social ao ambiente digital de uma empresa — e vale uma pesquisa mais aprofundada de gestores C-level

Estratégia

Com a possibilidade de ter uma indústria que gasta menos para produzir mais, as tecnologias relacionadas à quarta Revolução são antes de tudo um investimento estratégico. Essas soluções possibilitaram que você e outros diretores alinhem objetivos futuros com novas formas de abordar o caminho até eles. É a chamada gestão baseada em dados.

Nela, você reúne todas as informações geradas por sistemas, dispositivos e máquinas para encontrar decisões certeiras sobre ajustes de produção e até sobre seu posicionamento no mercado. É cada vez mais acessível encontrar grandes disrupções dentro de realidades industriais.

Quais as tecnologias mais utilizadas na Indústria 4.0?

Conversamos bastante sobre os benefícios da Indústria 4.0 dentro de contextos de negócios individuais. Mas, para chegar a esse ponto, é preciso investimento prático em tecnologias e processos. Portanto, vamos falar sobre esses dois lados. Começando pelas tecnologias digitais e físicas que possibilitaram que uma nova Revolução Industrial se tornasse realidade. Acompanhe.

Big Data

Se o grande impulsionador da Indústria 4.0 é o uso de informação na gestão e na operação do negócio, a Big Data é a tecnologia fundamental para fazer essa nova realidade acontecer. O conceito significa exatamente a utilização de grandes volumes de informação – o que seria impossível até décadas atrás. Contudo, apenas coletar e armazenar dados não é suficiente.

A verdadeira Big Data é apoiada por sistemas inteligentes de gestão que são capazes de segmentar, cruzar e analisar indicadores de maneira complexa e significativa. Com esse tipo de suporte, você tem muito mais segurança na hora de tomar decisões de produção e de mercado, projetando cenários e antecipando caminhos.

Inteligência Artificial

A visão de Inteligência Artificial que muitos profissionais ainda têm atualmente vem dos filmes do meio do século XX, quando esse tipo de tecnologia começou a se tornar viável em um horizonte próximo.

Mas a IA de hoje não é sobre assistentes humanoides ou máquinas dominando humanos. Trata-se de uma ferramenta que alia processos físicos e lógicos para entender uma função e trabalhar para aprimorá-la com o tempo.

A aplicação de IA na indústria tem muito mais a ver com a capacidade de ação e de comunicação dessas máquinas durante o trabalho, fazendo adaptações de acordo com o necessário. Além disso, está inserida também no conceito de Big Data. Soluções de Inteligência Artificial se alimentam dessas informações para tomar decisões próprias sem a necessidade de configuração humana.

Machine Learning

No centro da IA está um conceito chamado Aprendizado da Máquina, ou Machine Learning. É uma tecnologia fundamental para a Indústria 4.0 que tem um nome bastante autodescritivo.

O que dispositivos com ML fazem é usar dados coletados por eles e alimentados pelo sistema para aprender por reforço de padrões positivos e negativos. É literalmente testar o que dá certo e o que dá errado e agir de acordo.

Isso dá muito mais capacidade de adaptação e busca por eficiência nesses equipamentos. Com o tempo, seu próprio parque tecnológico produz mais do que as pessoas responsáveis conseguiriam configurá-lo para fazer.

Realidade Aumentada e Realidade Virtual

O que a tecnologia também está trazendo para a Indústria 4.0 é a possibilidade de profissionais, de operadores a diretores, ampliarem suas capacidades de controle ao ampliar a própria realidade. RA e RV são tecnologias que utilizam projeções por meio de telas e câmeras para inserir uma pessoa dentro de uma realidade virtualizada.

No setor industrial, podem ser aproveitadas para uma visão mais ampla sobre máquinas, controle de estoque e até ajustes nas características de produtos — podendo interagir com ele mesmo antes que existam.

Impressão 3D

Outra revolução que está acontecendo ao nosso redor é o potencial transformador que a Impressão 3D demonstra ao se popularizar na indústria. Uma impressora 3D é um equipamento que utiliza materiais como plásticos e resinas para literalmente imprimir uma peça, um componente, ou até máquinas funcionais inteiras.

Ainda é uma ferramenta em sua “infância”, mas as possibilidades para o futuro são impressionantes. O negócio pode criar partes ou a totalidade de produtos, imprimindo as próprias peças de substituição e fazendo manutenção de equipamentos em muito menos tempo.

Outra opção é construir as próprias máquinas e customizar ao máximo sua produção para se adequar à demanda. Cada uma dessas ideias significa mais eficiência, economia e competitividade no futuro.

Cloud Computing

Voltando às tecnologias lógicas, é muito difícil implementar tudo o que dissemos, de Big Data a Machine Learning, sem que haja uma base sólida de armazenamento e utilização de dados.

A nuvem é uma presença constante em praticamente todas as empresas que estão se mudando para a Indústria 4.0. A solução se desenvolve cada vez mais para oferecer armazenamento, recursos de computação, ferramentas e plataformas completas de maneira remota.

Isso acontece porque a necessidade desses recursos é tão grande que manter exclusivamente servidores físicos vem se tornando caro e um modelo engessado para um mercado tão dinâmico. A tecnologia é ainda mais interessante quando é integrada: plataforma, banco de dados, ferramentas de produtividade e monitoramento de maquinário.

Internet das Coisas

Outro ponto fundamental para a Indústria 4.0 é a autonomia do chão de fábrica. Isso é alcançado com cada vez mais sucesso no investimento em Internet das Coisas, ou IoT, na sigla em inglês. Esse termo denomina dispositivos, wearables, sensores e máquinas que se comunicam e utilizam a internet de maneira independente.

Assim, cria-se uma rede de informação dentro da cadeia produtiva em que todos os componentes envolvidos enviam e recebem dados. A união de IoT e IA representa a verdadeira autonomia inteligente que possibilitou essa nova Revolução.

Segurança de Dados

Se a informação se tornou o centro da nova Revolução Industrial, significa que ela é muito valiosa para as empresas. Como consequência, com muito valor também para cibercriminosos.

É por isso que tecnologia em segurança da informação é um investimento indispensável. Além de consolidar sua eficiência produtiva, essa preocupação evita prejuízos de comprometimento — como paralisações do sistema e até impacto negativo na imagem da marca com o público.

Vale lembrar também de que já está em vigor no Brasil a LGPD Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. Isso significa que a Indústria 4.0 passa a ser não apenas sobre mais inteligência produtiva, mas tem também a proteção da informação como um de seus pilares.

Como implementar a Indústria 4.0 na empresa?

A questão sobre implementar Indústria 4.0 não é mais sobre “se”, mas sobre “quando”. E a resposta é que esse movimento deve ser feito pela empresa o quanto antes. Mas, como garantir que todos os benefícios da Revolução façam parte da sua rotina? Quais são os pontos fundamentais de atenção para planejar e executar a estratégia?

Depois de falar sobre as tecnologias disponíveis, vamos terminar analisando como elas podem ser abordadas para uma verdadeira Transformação Digital na indústria. Veja a seguir.

Mapeie sua maturidade digital

Se a gestão de dados é o centro da Indústria 4.0, é responsabilidade de gestores C-level iniciar esse processo pela sua digitalização completa. Esse levantamento é feito mapeando registros e documentos que ainda são armazenados e utilizados de maneira física e que possam ser transportados para um ambiente virtual.

Isso se chama maturidade digital: não apenas a consolidação de sistemas, mas também todo o cenário em volta deles (pessoal, administrativo e operacional) para que sejam úteis de maneira confiável e ágil. É como determinar o ponto de partida para sua jornada.

Encontre as soluções adequadas

Com um ponto de partida encontrado e um de chegada definido — seus objetivos de digitalização —, é hora de conseguir os veículos ideais para trilhar esse caminho com sucesso. Soluções tecnológicas são aquelas que possibilitaram fechar os gaps encontrados no mapeamento de maturidade. Provavelmente será uma mistura de:

  • soluções digitais, como SAP, ferramentas produtivas e monitores de segurança;
  • soluções físicas, como dispositivos IoT, máquinas com integração de dados, entre outras.

Capacite os profissionais

As soluções da Indústria 4.0 são inteligentes apenas até certo ponto. Afinal, elas ainda precisam de profissionais para configurar, acompanhar e utilizar suas análises de maneira estratégica para o negócio como um todo.

Por isso não basta adquirir máquinas e sistemas modernos: é preciso ter gente capacitada para operar e extrair o máximo dessas novas tecnologias. Investir na sua equipe de colaboradores também é investir nessa nova Revolução.

Identifique os desafios

Com uma base bem consolidada de Indústria 4.0, seu trabalho não está terminado. Pelo contrário, é aí que a nova era digital no setor se inicia.

Com acesso a mais informações e um sistema integrado, você ganha um poder de análise mais profundo de mercado, identificando novas tendências e demandas e relacionando essas mudanças com os ajustes possíveis dentro da sua própria cadeia produtiva.

Negócios inovadores são movidos a desafios, por isso a oportunidade de atacá-los de frente é tão interessante para quem quer se destacar.

Crie métricas

Encontrando inovação dentro e fora do negócio, tendo suporte tecnológico e superando desafios, a empresa tem o que precisa para entrar na era 4.0 da indústria, mas é importante nunca parar.

Por isso, acompanhe métricas específicas de eficiência operacional, economia de recursos, processos produtivos e até a resposta do público a esses novos ajustes. É mais um pool de dados para ajudar na sua tomada de decisões e uma maneira de identificar mais rápido tendências e o que é preciso para atendê-las antes dos concorrentes. 

Conte com ajuda especializada

Tudo o que falamos até aqui é um processo de transformação inevitável no futuro do setor industrial. Compete quem consegue digitalizar completamente o negócio, investir em soluções integradas como um SAP e máquinas mais apropriadas para funcionar em conjunto com ferramentas de gestão baseada em dados.

Ou seja, é uma jornada complexa, mas necessária. E nada melhor para garantir seu sucesso do que contar com uma ajuda especializada. Nesse caso, a melhor opção é aquela que se insere desde o primeiro passo de migração no mapeamento da maturidade digital e suas implicações em possibilidades de investimento.

Em seguida, auxilia, em parceria com a empresa, a escolher as melhores opções de mercado que atendem às necessidades específicas, sempre mirando seus objetivos. Por fim, é capaz de auxiliar na execução desse plano, na implementação de sistemas e na capacitação profissional para que o negócio ganhe tração digital e colha os frutos por conta própria no futuro.

Parcerias nesse momento são fundamentais por causa de uma palavra: Revolução. A Indústria 4.0 está se estabelecendo agora e muda todo o cenário do mercado. Quem se adianta e entra de cabeça nesse novo paradigma pode ter retornos ainda maiores no futuro.

Que tal começar esse processo de Transformação Digital na sua empresa? Entre em contato com a gente e saiba o que podemos fazer juntos para que o seu negócio chegue ao sucesso!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

um × 4 =